Roberto Sá assume secretaria de Segurança

Subsecretário de Integração Operacional e delegado da Polícia Federal assume vaga deixada por José Mariano Beltrame

Por O Dia

Rio - O subsecretário de Planejamento e Integração Operacional, Roberto Sá, assumirá a Secretaria de Estado de Segurança, na próxima segunda-feira. Ele entrará no lugar do atual secretário José Mariano Beltrame, que vai deixar o cargo após 10 anos.

Roberto Sá vai assumir Secretaria de Estado de Segurança na próxima segunda-feiraPaulo Alvadia / Agência O Dia

Natural de Barra do Piraí, formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e fez carreira na Polícia Militar, onde foi instrutor do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e chegou ao posto de tenente-coronel. Foi para a reserva não-remunerada da PM e ingressou na Polícia Federal. Como subsecretário de Planejamento e Integração Operacional foi responsável pela implementação do sistema de metas na PM.

Beltrame deixa secretaria de Segurança

Beltrame pediu exoneração do cargo nesta terça-feira. De acordo com a assessoria de imprensa do governo, ele tinha pedido para deixar a Pasta depois do segundo turno das eleições. 

Em conversa com jornalistas, nesta terça-feira, o governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão, afirmou que falou "rapidamente" com Beltrame sobre sua saída. Ele afirmou que o secretário o "poupou" por conta do seu estado de saúde e não quis entrar em detalhes e ainda não sabe se o assunto foi mencionado com o governador em exercício Francisco Dornelles.

"Se possível vou pedir para ele ficar até o fim do governo, mas não posso exigir isso de uma pessoa que já está no cargo há 10 anos. Eu me preocupo muito, porque ele está cansado", afirmou Pezão.

O pedido de demissão de Beltrame ocorre após as UPPs Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, na Zona Sul, sofrerem ataques e moradores passarem por um intenso dia de tiroteios nesta segunda-feira. Três suspeitos foram mortos e três policiais feridos, entre eles o comandante da unidade policial, o capitão Vinicius Apolinário de Oliveira. Oito bandidos foram presos.

Últimas de Rio De Janeiro