Justiça condena Rio por corte de árvores em Copacabana no projeto Rio Cidade

Em 1995, o então prefeito Cesar Maia autorizou a medida sem o prévio Estudo Impacto Ambiental

Por gabriela.mattos

Rio - O Tribunal de Justiça o Rio de Janeiro (TJ-RJ) condenou o município do Rio, por unanimidade, nesta quarta-feira, ao pagamento de indenização pelo dano ambiental provocado na ocasião da implantação do projeto urbanístico Rio Cidade. Em 1995, o então prefeito Cesar Maia autorizou o corte de árvores em trechos da Avenida Nossa Senhora de Copacabana e da Rua Princesa Isabel, em Copacabana, na Zona Sul, sem o prévio Estudo Impacto Ambiental (EIA-RIMA). O valor da multa será estabelecido na ocasião da liquidação de sentença.

Durante a sentença, o desembargador Bernardo Moreira Garcez Neto destacou que a ausência de estudo de impacto ambiental já caracteriza a ilegalidade. O desembargador lembrou ainda do laudo da perita judicial, que confrontou a defesa do município de não ter cometido crime ambiental, alegando que após a implantação do Rio Cidade, o bairro ganhou 226 árvores.

Procuradas, a prefeitura do Rio informou que vai analisar e, por meio da Procuradoria Geral do Município, vai recorrer da decisão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia