Polícia investiga caso de mulher obrigada a fazer sexo com pelo menos 10 homens

Dois adolescentes foram reconhecidos e apreendidos. Oito suspeitos continuam foragidos

Por gabriela.mattos

Rio - Policiais da 74ª DP (Alcântara) investigam um caso de estupro coletivo sofrido por uma mulher de 35 anos, na madrugada da segunda-feira, em uma rua deserta na Lagoinha, em São Gonçalo. De acordo com informações do jornal ‘O Fluminense’, publicadas na terça-feira, dois adolescentes já foram reconhecidos pela vítima e apreendidos pela polícia pouco depois do crime, mas pelo menos outros oito suspeitos que também teriam participado do estupro continuam foragidos.

Segundo as investigações, a vítima estaria bebendo com um amigo em um bar na Rua Cardeal Sebastião Leme, onde teria sido abordada por quatro adolescentes e levada para o banheiro, onde fora forçada a fazer sexo oral em todos eles. Após o abuso, a vítima teria saído do bar, mas foi abordada novamente e levada para uma área deserta da Rua Caetano Moura, a cerca de 300 metros, onde, além de ser forçada a fazer sexo com pelo menos dez homens, ainda teve objetos inseridos em seu órgão sexual.

A vítima foi encontrada seminua e muito abalada por policiais do 7º BPM (São Gonçalo) que faziam patrulhamento pelo local. Ao serem informados sobre o ocorrido, os policiais fizeram uma varredura pela área e conseguiram abordar os dois menores suspeitos, um de 15 e outro de 16 anos.

Orientada pelos PMs, a vítima foi até a delegacia e depois encaminhada para exames no Instituto Médico Legal de Tribobó (IML), em São Gonçalo. Os menores apreendidos foram reconhecidos e autuados por fato análogo ao crime de estupro.

Em maio, uma adolescente de 16 anos contou que foi abusada sexualmente por mais de 30 homens em uma comunidade da Zona Oeste do Rio. Imagens dela nua foram divulgadas na internet, causando revolta nas redes sociais. Em maio de 2013, uma turista estrangeira foi roubada e abusada sexualmente por dois homens dentro de uma van que seguiu de Copacabana, no Rio, para São Gonçalo. Saques foram feitos com os cartões de crédito da vítima.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia