Mais de 60 torcedores são detidos após entrar em confronto com a PM no Maracanã

Quarenta e dois torcedores do Corinthians foram autuados. Ele são acusados de atacar a torcida do Flamengo, depredar o estádio e agredir policiais

Por O Dia

Rio - Sessenta e quatro torcedores do Corinthians foram detidos e levados para a Cidade da Polícia (Jacaré), dentre os quais, 42 foram autuados, neste domingo, depois do jogo de reabertura do estádio do Maracanã, na Zona Norte do Rio, que resultou no empate entre Flamengo e Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. 

De acordo com a Polícia Civil, 31 são suspeitos de tentar invadir o espaço reservado para a torcida do Flamengo, depredar o estádio e agredir policiais militares antes do início do jogo. Ele foram autuados em flagrante pelos crimes de lesão corporal, dano qualificado, resistência qualificada, promover tumulto em eventos esportivos e associação criminosa. Outros 11 foram autuados por promover tumulto em evento esportivo, cuja pena máxima é de dois anos. 

Os policiais conseguiram controlar o tumulto com a ajuda de sprays de pimenta. Quando a partida terminou, os cerca de 3 mil torcedores do time paulistano ficaram retidos na arquibancada do estádio até que a polícia analisasse as imagens para identificar os agressores.

Os torcedores ficaram mais de duas horas aguardando a prisão dos suspeitos. A Tropa de Choque e a Cavalaria estiveram presentes para conter o confronto dentro e fora do estádio. Segundo informações, um grupo de torcerdores do Flamengo que estava sem o ingresso, tentou invadir o portão E do estádio e teve que ser contido.

Nota do clube paulista critica polícia

O Corinthians divulgou uma nota repudiando a atitude da Polícia Militar, que o time considerou como “covarde”.

“A fim de capturar 40 torcedores que supostamente se envolveram em briga com policiais, a PM aprisionou 3 mil torcedores do Corinthians no Estádio do Maracanã, fez com que todos eles tirassem a camisa e está liberando a saída de cinco em cinco pessoas. É inaceitável que uma briga aconteça dentro do estádio entre alguns torcedores e a polícia e a mesma não tenha capacidade de prender em flagrante os envolvidos, fazendo com que todos os outros corinthianos que lá estejam sejam agredidos como cidadãos” diz a nota.

O Corinthians também pede que a Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro puna os policiais militares envolvidos no episódio.

Segundo a Polícia Civil, as 31 pessoas autuadas na Central de Garantias da Polícia Civil por agressão aos policiais terão que se apresentar a audiências de custódia na Justiça. O Maracanã foi utilizado neste domingo pela primeira vez para um evento esportivo desde a cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, em 18 de setembro.

Mais de 80 carros foram rebocados 

Agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), com o apoio de guardas municipais, realizaram neste domingo operação de ordenamento no entorno do Maracanã durante o jogo entre Flamengo e Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. Na fiscalização ao estacionamento irregular, os agentes rebocaram 82 veículos nos arredores do estádio. 


Últimas de Rio De Janeiro