Por adriano.araujo
Arma usada pelo assaltante%3A uma metralhadora MT12%2C capaz de atirar mais de 500 tiros por minutoLeitor WhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Uma tentativa de assalto a um ônibus na Avenida Brasil, em Bonsucesso, terminou com o ladrão morto, na manhã desta quarta-feira. O assaltante, em posse de uma metralhadora, que estava sem munição, anunciou o roubo e um passageiro reagiu, matando o homem a tiros. 

Segundo testemunhas, o assaltante, que ainda não foi identificado, subiu no veículo da linha 493 (Nova Iguaçu-Central), da Viação Tiinguá, por volta das 6h40 na altura da Cidade Alta, em Cordovil, e, visivelmente alterado, tentou forçar entrada pela porta da frente. Como o motorista não abriu a porta, ele aproveitou o desembarque de passageiros pela porta traseira e entrou. 

Cerca de dez minutos depois ele anunciou o assalto. Um passageiro, que estava armado, reagiu e disparou duas vezes contra o ladrão. Um dos tiros pegou próximo do coração e o assaltante morreu minutos depois.

"Estava bem perto dele (do assaltante), o tiro passou muito perto de mim. Tudo aconteceu muito rápido, lembrando agora parece cena de filme", disse, impressionado, Bruno de Souza, 25 anos, funcionário da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  

Companheiro de trabalho de Bruno, André Luiz Machado, 44 anos, faz aniversário nesta quarta-feira. Ele disse que é a segunda vez que sofre assalto na mesma linha. A primeira vez foi há três meses, na Dutra. Desta vez agradeceu ao escapar com vida no dia em que completa mais um ano. "Foi desesperador na hora, assustador. Agora vou voltar para casa, ver os meus filhos e descansar. Hoje é meu aniversário e nasci de novo", falou.

A arma em posse do homem, uma metralhadora MT12, é capaz de dar 550 tiros por minuto. O atirador desceu do ônibus após matar o assaltante e não foi localizado pela polícia. A Delegacia de Homicídios (DH-Capital) foi acionada e realizou perícia na cena do crime. Os agentes constataram que a metralhadora não tinha munição. O assaltante ainda está sendo identificado pela polícia.

Com informações de Paola Lucas

Você pode gostar