Por thiago.antunes
Rio - Três Restaurantes Populares foram fechados por tempo indeterminado na manhã de ontem. As unidades da Central do Brasil, Méier e Cidade de Deus interromperam o funcionamento por causa da falta de repasse do estado. A crise que o governo do estado enfrenta paralisou o fornecimento aos locais, que servem 7.500 almoços por dia a R$ 2. Além de oferecer 3.500 cafés da manhã a 50 centavos, de segunda a sexta-feira. 
A empresa Home Bread Multisserviços havia anunciado na terça-feira passada o fechamento dos restaurantes que estão sob sua administração. Segundo a empresa, a dívida total acumulada com o governo do Rio desde janeiro é de R$ 18 milhões.
Publicidade
Com o fechamento das unidades, a vida de muitos cariocas será prejudicada, pois eles dependem do local para se alimentar. O síndico Manoel Ferreira, de 32 anos, morador de Duque de Caxias, frequentava o restaurante do Méier há um ano, que fica perto do seu trabalho.
Pichação no Restaurante Popular representou o que as pessoas sentiram com o fechamento%3A ‘Vergonha!! O povo tem pressa. O povo tem fome’Maíra Coelho / Agência O Dia

“Não é todo dia que eu tenho condições de trazer comida, porque eu moro longe. Por isso o restaurante se tornou um refúgio para mim. E eu nem tenho como comprar comida em outro lugar, porque uma quentinha não sai por menos de R$ 13”, desabafa.

O restaurante também ajuda o professor de dança Eder Mazzei, de 55 anos, a economizar. Ele frequenta a unidade do Méier há três anos. “O preço da comida aumentou muito, e o restaurante quebra um galho enorme, já que eu tenho economizado muito. Além de ser de grande importância para muitas pessoas que frequentam o local, como os moradores de rua que almoçam bastante aqui”, diz o professor.
Publicidade
A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, responsável pelo funcionamento dos restaurantes, esclareceu que a Prefeitura do Rio se prontificou a assumir até o fim do ano o pagamento às empresas. De acordo com a pasta, eles ainda não tiveram uma resposta da prefeitura.
Muitas pessoas foram à unidade do Méier%2C sem saber do fechamentoMaíra Coelho / Agência O Dia

Já a prefeitura alega que a secretaria não devolveu o documento de convênio com as despesas detalhadas. Em resposta à HB Multisserviços, o estado diz que a dívida é de R$ 10 milhões e o valor é referente ao período de janeiro a setembro.

Problemas durante o ano todo
Publicidade
Os restaurantes populares sofreram com uma constante tensão de paralisação ao longo deste ano. Em abril, os 16 restaurantes populares mantidos pelo governo do estado correram o risco de ser fechados. Na época, oito empresas responsáveis pelos estabelecimentos ameaçaram paralisar o serviço, pois não recebiam o pagamento há cinco meses.
A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos tinha pedido um prazo de 15 dias para tentar liberar os recursos. Em junho, a Home Bread Multisserviços anunciou o fechamento de algumas unidades, mas a secretaria não confirmou o fechamento.
Publicidade
Já em julho, os restaurantes ficaram sem funcionar por dois dias, por falta de repasse do governo aos gestores do serviço. Eles reabriram depois de o governo estadual ter liberado R$ 10 milhões para o pagamento de parte das faturas atrasadas aos fornecedores dos 16 estabelecimentos do estado.
No Rio, cinco restaurantes ficaram fechados. Segundo a secretaria, as unidades que haviam sido fechadas serviam diariamente 12 mil refeições, e a dívida com as empresas que administram os restaurantes era de R$ 31,5 milhões.
Publicidade
Reportagem da estagiária Marina Cardoso