Por thiago.antunes

Rio - Os constantes enguiços de ônibus da Viação Costa Leste, que vêm prejudicando a mobilidade de cidadãos de diferentes bairros de Maricá, levou a prefeitura pedir a cassação da concessão das linhas exploradas pela empresa. O anúncio foi feito ontem pelo prefeito Washington Quaquá.

Quaquá%3A cassação da concessão das linhas exploradas pela Costa LesteDivulgação

Segundo o prefeito, a concessionária não vem respeitando o contrato e não está atendendo à população de forma digna. Nos últimos 15 dias, onze coletivos tiveram panes mecânicas ou problemas com pneus que, além de deixar os usuários literalmente a pé, também congestionaram o trânsito da cidade em alguns casos.

Quaquá explicou que as determinações do contrato vigente serão respeitadas durante o processo e, por isso, a Costa Leste terá trinta dias para apresentar sua defesa e restabelecer a eficiência do serviço.

Caso contrário, a empresa vai deixar de operar as atuais dez linhas que administra, que serão imediatamente supridas pela Empresa Pública de Transportes (EPT), cuja operação foi suspensa no fim de outubro por ordem do Tribunal de Justiça do Rio.

Segundo Quaquá, os empregados da Costa Leste serão absorvidos pelo governo municipal e não vão ficar sem trabalho, caso a empresa deixe de operar na cidade. Ele disse que a expectativa é que até 2020 todas as linhas de ônibus municipais tenham os ônibus Tarifa Zero operando. “Nosso futuro prefeito, Fabiano Horta, vai dar sequência a esta transição até o fim de sua gestão”, afirmou o prefeito. 

Você pode gostar