ANP interdita postos da Ilha que vendiam álcool adulterado

Multa a revendedores pode chegar a R$ 5 milhões. Fraude foi detectada em São Paulo

Por O Dia

Rio - Postos de combustíveis das marcas BR, Ipiranga e Shell foram interditados na Ilha do Governador pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que detectou adulteração no etanol distribuído às unidades revendedoras do bairro. De acordo com os agentes, havia metanol no álcool usado para abastecer.

O produto foi encaminhado às bases dos fornecedores para reprocessamento. Em nota, a ANP, afirmou que distribuidores e revendedores estão sujeitos a multas de R$ 20 mil a R$ 5 milhões. Ontem, os pontos de venda que já tinham recebido novo lote já comercializavam o etanol. Mas nem todos conseguiram retomar as atividades. Os tanques de um dos postos interditados, na Rua Jaime Perdigão, estavam sendo limpos ontem à tarde. As atividades só devem voltar ao normal hoje.

A ação também teve impacto entre os motoristas que precisavam do etanol para abastecer. “Já rodei a Ilha toda e não encontro álcool. Estou na reserva e não sei como vou sair da Ilha. Se acabar meu álcool, vou ficar na pista”, criticou André Luiz Ramos, 30 anos, que mora na Ilha.

Clientes tiveram dificuldade para abastecer com álcool no bairroLuiz Ackermann / Agência O Dia

O serviço de Inteligência da ANP detectou a fraude em São Paulo e identificou os locais de distribuição no estado do Rio ao investigar o caminho percorrido. Equipes da ANP recolheram o etanol e lacraram as bombas dos postos enquanto o produto era analisado em laboratório, pelo Programa de Monitoramento de Qualidade (PMQC), confirmando a mistura. Como o metanol se funde com o etanol, não há alteração na cor ou odor, impedindo que os postos identifiquem a adulteração.

Em nota, a Petrobras e a empresa Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, informaram que suspenderam as vendas do produto até a chegada de um novo lote. As duas distribuidoras afirmaram que a inconformidade encontrada no etanol é proveniente de uma única usina produtora, em Campos dos Goytacazes. E que, assim que a origem do problema foi identificada, as causas começaram a ser apuradas para que os responsáveis fossem identificados e punidos.

Últimas de Rio De Janeiro