Manifestantes comemoram prisão de Cabral com bolos em frente à Alerj

Bloco comemorativo chamado 'CarnaCabral' também está marcado para começar às 18h. Ex-governador cobrava mesada milionária de empreiteiras

Por O Dia

Rio - Manifestantes reunidos em frente ao prédio da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na tarde desta quinta-feira comemoram a prisão do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, com bolos. Há servidores ligados ao Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais do Rio (Muspe) e do SindJustiça. As celebrações continuam à noite com o bloco "CarnaCabral" que tem concentração prevista na Praça Mauá, às 18h desta quinta-feira. 

Bolos para comemorar prisão de Cabral%2C na Alerj Reprodução Twitter

Nas redes sociais, internautas brincam com a irreverência do carioca. "Está tendo festa com bolo, tipo aniversário mesmo lá na manifestação da Alerj, em comemoração à prisão do Cabral. O carioca é uma entidade mesmo", comentou um deles.

 A princípio, Sérgio Cabral ficará preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, segundo a procuradoria. O prejuízo que ele deu ao Rio é estimado em mais de R$ 220 milhões.

Segundo o Ministério Público Federal, Cabral cobrava mesada de empreiteiras. "O esquema consistia numa cobrança de mesada feita pelo ex-governador. As licitações eram fraudadas e eram realizados esses pagamentos, que ocorreram entre 2007 e 2014", afirmou o procurador. Da Andrade Gutierrez vinham R$ 350 mil e da Carioca Engenharia R$ 200 mil, no primeiro mandato e R$ 500 mil, no segundo.

Nesta quarta-feira, um vídeo publicado no Facebook mostrou dois militares do Batalhão de Choque (BPChoque) que participavam do cordão de isolamento do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), na Rua Primeiro de Março, abandonando o cerco para se juntar aos policiais contrários ao pacote de cortes do governo do estado.

Votação na Alerj

A Alerj vota nesta quinta-feira mais dois projetos de lei do pacote de medidas de corte de gastos proposto pelo governo Estadual. Um deles é o aumento da contribuição previdenciária dos servidores ativos e inativos de 11% para 14%. A contribuição patronal passará de 22% para 28%.

O objetivo, segundo o governador Luiz Fernando Pezão, é garantir a cobertura financeira dos benefícios previdenciários.

O segundo projeto a ser discutido hoje é a extinção da Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores (Ceperj). Os funcionários serão repassados à Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão. A medida trará uma economia estimada de R$ 3,2 milhões.

Os dois primeiros dos 21 projetos do pacote de corte de gastos foram discutidos ontem, mas não foram votados porque receberão emendas parlamentares.

Últimas de Rio De Janeiro