Ônibus é incendiado por traficantes e trecho da Avenida Brasil fica fechado

No Facebook, moradores relatam o clima de tensão na região

Por O Dia

Rio - A guerra entre traficantes rivais na Cidade Alta, em Cordovil, ganhou mais um capítulo nesta tarde. De acordo com a polícia, criminosos do Comando Vermelho (CV) escondidos na comunidade Cinco Bocas, em Brás de Pina, atearam fogo em ônibus da linha 394 (Vila Kennedy – Tiradentes), na Avenida Brasil. Devido ao ato criminoso, por volta das 18h, as pistas da via ficaram interditadas por mais de 40 minutos.

Trânsito ficou lento no trecho da Avenida BrasilDivulgação

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura (COR), a CET-Rio fechou a pista lateral e duas faixas da pista central na via. Policiais do 16º BPM (Olaria), com apoio de agentes do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), impediram que bandidos ateassem fogo em pneus na via, na altura da Favela Cinco Bocas.

Um garoto de 17 anos foi apreendido com galão de gasolina próximo ao ponto onde o coletivo foi incendiado. PMs do 16º BPM também fizeram incursões na Cinco Bocas, após receberem informações sobre bandidos armados. Sete suspeitos foram presos e um fuzil apreendido. Além disso, os agentes ainda encontraram pistola, drogas e munições. O caso foi registrado na Central de Garantias.

Ônibus incediado na Avenida Brasil, em Brás de PinaReprodução Internet

Segundo informações do Serviço Reservado (P2) do 16º BPM, os traficantes do CV tentaram, com os atos, desviar a atenção dos policiais na Cidade Alta, que agora é controlada pela facção Terceiro Comando Puro (TCP).

Segundo o comandante do 16º BPM, coronel Barbosa, em três dias consecutivos de operações na Cidade Alta, 19 suspeitos foram presos, e dois fuzis, seis pistolas e drogas, apreendidos. “O policiamento está reforçado”, destacou o oficial.

Criminosos de Parada de Lucas e outras comunidades da Zona Norte, que participaram da invasão a Cidade Alta, já estão sendo identificados por agentes da 38ª DP (Irajá). “O inquérito foi instaurado e estamos prosseguindo com as investigações”, frisou o delegado Delmir Gouvea, da distrital. A Polícia Civil não revelou o nome dos envolvidos.

Nas redes sociais 

No Facebook, moradores relatam o clima de tensão na região: “O comércio foi fechado em Lucas (Parada de Lucas). Parece cena de guerra”, escreveu uma internauta. “Não temos mais sossego nem dentro de casa. Tiros a todo momento”, postou outro, preocupado


Últimas de Rio De Janeiro