Tiroteio em Duque de Caxias deixa pelo menos dez feridos

Homens armados tentaram assaltar um caminhão de cigarro e trocaram tiros com PMs

Por O Dia

Rio - Dez pessoas foram baleadas durante troca de tiros entre agentes de escolta armada da empresa do ramo de cigarros Souza Cruz e traficantes da Favela do Lixão, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, no início da tarde desta quinta-feira. Houve pânico e correria entre pedestres e clientes de lojas. Os bandidos voltaram para a favela e houve outro confronto com a policiais militares. Quatro homens foram presos e um suspeito de integrar o tráfico morreu.

Há duas versões oficiais para a troca de tiros: uma, da assessoria de imprensa da PM, diz que foi uma tentativa de roubo à carga. A outra é do comandante do 15º BPM (Caxias), coronel Porto. Ele afirma que o tiroteio ocorreu após traficantes em fuga de uma operação policial terem se deparado com os agentes da escolta. “Realizávamos uma operação contra uma cracolândia na região desde às 10h. Esses traficantes correram da ação policial e houve o encontro com a escolta armada, originando o tiroteiro”, afirmou Porto ao DIA.

O confronto entre bandidos e os agentes da escolta aconteceu próximo a um shopping, à rodoviária e ao Calçadão de Caxias que teve até alguns manequins perfurados por tiros. Entre os feridos que foram atingidos por balas perdidas estão dois policiais civis lotados na delegacia do município, um policial militar, três idosos e outras três pessoas. Os policiais feridos não estavam de serviço. O motorista da entrega dos cigarros também foi baleado, mas passa bem.

De acordo com informações da polícia, o caminhão foi abordado na Rua José de Alvarenga, em frente ao Supermercado Prezunic. De um lado da via fica o calçadão e do outro, a rodoviária e a Favela do Lixão, para onde os bandidos fugiram depois do tiroteio, que continuou com PMs na favela.

Em nota, a PM afirmou que “os policiais realizaram cerco e buscas no interior das comunidades do Lixão e Vila Ideal. Na ação três pistolas 9 mm e material entorpecente foram arrecadados.” 

Nesta quinta-feira foi o primeiro dia de comando do coronel Porto, que disse conhecer bem a região. “Já trabalhei aqui quando tenente e capitão. Fizemos um trabalho de inteligência para a operação que contém até filmagens da cracolândia e dos traficantes identificados”, disse.

Segundo Porto, um blidado e várias viaturas vão ocupar por tempo indeterminado as favelas do Lixão e Vila Ideal, no combate ao tráfico.

PM morto em assalto

Ainda nesta quinta-feira, em Duque de Caxias, um policial militar foi assassinado ao reagir a uma tentativa de assalto a uma loja de celulares, no calçadão, momentos antes da troca de tiros envolvendo a escolta da empresa. Ele tinha 37 anos.

Feridos atendidos em 4 hospitais

Os dez baleados foram socorridos em quatro hospitais diferentes. A direção do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (Saracuruna) informou que Emílio José Rodrigues foi atendido e recebeu alta. Maria José de Souza Silva, Marcelo Alonso Marinho e Edson Felino Ferreira Júnior apresentam estado de saúde estável, mas continuam internados. Já o paciente Jean Vitor de Lima apresenta estado de saúde grave.

Outros dois baleados foram para o Hospital Moacyr do Carmo. São eles: Gabriel Campos Rodrigues, de 35 anos (ferido na coxa e encaminhado para o Hospital da PM); Antônio Honório de Andrade, 83, que foi liberado.

Já no Caxias D’or foram socorridos Mariana Costa, 19 anos, estado estável e os policiais Wagner Luis Madeira (baleado nas duas pernas, mas estável) e Bruno da Fonseca e Silva, ferido de nas costas de raspão e recebeu alta do hospital. O suposto traficante morto não foi identificado.


Últimas de Rio De Janeiro