STF julgará ação que limita reeleição de presidentes de assembleias legislativas

No Rio, Jorge Picciani (PMDB) é candidato à reeleição. Adin deve ser votada até o próximo dia 20

Por O Dia

Rio - A eleição para a presidência da Assembleia Legislativa, em fevereiro, deve ser mais agitada do que se imagina. Isto porque o Supremo Tribunal Federa julgará, até o dia 20, Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que pode limitar a reeleição de presidentes de assembleias legislativas em todo o Brasil. No Rio, Jorge Picciani (PMDB) é candidato à reeleição.

Caso o STF decida pelo fim da reeleição, já se cogitam os nomes de Edson Albertassi (PMDB), Paulo Melo (PMDB), André Correa (DEM) e Luiz Paulo (PSDB). Os três primeiros percentem à linha governista; o tucano, à oposicionista. Mesmo que o STF mantenha a reeleição, alguns deputados afirmam que Luiz Paulo pode tentar o apoio do centro para se eleger. Apostam na fragilidade de um governo debilitado.

É penta

A Adin foi impetrada pelo Psol por conta de caso ocorrido na Assembleia Legislativa da Bahia. Lá, o deputado Marcelo Nilo (PDT) ocupa a presidência pelo quinto mandato consecutivo.

Servidores

Prefeito eleito, Marcelo Crivella (PRB) tem dito que usará servidores de carreira do município em cargos de chefia nas secretarias de Saúde, Fazenda, Controladoria e Procuradoria. “Vamos reduzir indicações políticas e valorizar os que fizeram bom trabalho nas gestões de Cesar Maia e Eduardo Paes”, garante um aliado.

Secretarias 

Diferentemente do governo estadual, na gestão de Crivella a secretaria de Planejamento não será incorporada à de Fazenda. O mais cotado para assumir Planejamento é Luiz Alfredo Salomão, que coordena a equipe de transição do futuro prefeito.

Casa Civil

Marcelo Faulhaber, que já chegou a ser cotado para a Casa Civil, está a cada dia mais longe da pasta.

Sem definição

O Palácio Guanabara diz ainda não haver definição sobre o destino de Ary Ferreira Filho no governo. Um dos assessores mais próximos de Cabral desde os tempos de Alerj, Ary pediu para ser exonerado do gabinete de Pezão.

Barca da transparência

O deputado Flávio Serafini (Psol) ficou revoltado com 37 colegas que votaram contra emenda que determinava que a Agetransp divulgasse, semanalmente, dados referentes a receitas e despesas da CCR Barcas. “Pedir transparência não envolve mais custos ao estado.”

Vem protesto por aí

Deputados temem a segunda-feira. No dia, serão votados temas ligados à Previdência e ao cancelamento de aumentos concedidos a servidores.

Últimas de Rio De Janeiro