Polícia prende dois homens por sequestro

Segundo delegado, eles eram especializados em atacar famílias de funcionários de banco

Por O Dia

Rio - A Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) começou a desarticular uma quadrilha de sequestradores que tem como alvo parentes de funcionários de bancos. Segundo as investigações, o bando mantém as vítimas como reféns até que o parente retire dinheiro da agência bancária para pagar o resgate. Dois acusados foram presos em flagrante quinta-feira. Um terceiro integrante menor de idade foi identificado.

Lucas Santana Pereira, de 19 anos, e Márcio Amaral Costa, o Cinho, de 28, sequestraram a esposa do gerente de um banco, no último dia 7. Os dois e o menor monitoravam a rotina da família há três meses. A mulher foi sequestrada assim que deixou a filha do casal, de 3 anos, na creche, em Santa Rosa, em Niterói.

A vítima foi abordada por um dos criminosos e entrou em um carro preto, que tinha roubado na área da 74ª DP (Alcântara). No veículo, havia dois homens armados. A mulher foi levada para um dos acessos ao Morro da Congonha, em Madureira, onde, segundo ela, os sequestradores usaram drogas e começaram a ligar para seu marido. Os sequestradores exigiam R$ 500 mil para liberá-la viva.

Agentes da DRF foram à agência onde trabalha o marido da vítima, no Rio, e, depois de rápida investigação, os bandidos foram identificados. Sabendo que eram procurados, os criminosos soltaram a refém, às 15h do dia 7, na Avenida Brasil, sem o pagamento do resgate. Na manhã do dia 8, Lucas foi preso na casa da namorada, em Colégio. Márcio foi encontrado em casa, em Turiaçu, onde foi apreendido o carro usado no crime. “Márcio já havia sido funcionário da agência e conhecia o marido da vítima”, disse o delegado Hilton Alonso, da DRF. Os dois estão no Complexo de Gericinó, em Bangu.

Últimas de Rio De Janeiro