Traficante que vivia no luxo na Região dos Lagos é presa com cinco comparsas

Dona de um carrão avaliado em quase R$ 70 mil e de uma motocicleta que custa cerca de R$ 35 mil, ela gostava de ostentar nas ruas e nas redes sociais, onde postou várias fotos de viagens

Por O Dia

Rio - Morando em um condomínio de luxo na Região dos Lagos, Cristiane Silva Gomes, de 36 anos, levava uma vida de madame. Dona de um carrão avaliado em quase R$ 70 mil e de uma motocicleta que custa cerca de R$ 35 mil, ela gostava de ostentar nas ruas e nas redes sociais, onde postou várias fotos de viagens. O que seus vizinhos e seguidores na internet não sabiam é que o dinheiro para bancar tudo isso vinha do tráfico de drogas.

Cristiane Silva Gomes%2C a Tia do Pó%2C foi presa na Rodovia BR-101Divulgação

Mas a “casa caiu” na noite de terça-feira, quando a Tia do Pó, apontada pela polícia como chefe das bocas de fumo da Favela do Independente, em Araruama, e em comunidades de Macaé, no Norte Fluminense, foi presa em flagrante na Rodovia BR-101.

Uma denúncia anônima a respeito de transporte de drogas em um ônibus, que estaria sendo escoltado por criminosos do Comando Vermelho (CV) num carro, fez agentes da 118ª DP (Araruama) montarem um cerco na rodovia, na altura de Rio Bonito. Marcellus Lemos de Souza e Ezequiel dos Santos foram capturados dentro do coletivo, com mais de 20 quilos de maconha escondidos em duas mochilas. A carga havia sido comprada na Favela de Manguinhos, Zona Norte do Rio.

Irmão também foi preso 

Os policiais também abordaram o veículo que vinha logo atrás, onde estavam a Tia do Pó, Aurelino de Souza, o Show, Luiz Fernando da Silveira Pereira e Marcus Vinícius Silva Gomes, o Marquinho, que é irmão de Cristiane. Os seis foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Nenhuma arma foi apreendida.

Substituta do marido

Segundo investigadores da 118ª DP, Cristiane herdou a posição de chefe do tráfico após o assassinato do marido, Rafael Adílio Thomaz, conhecido como Cabecinha da Penha, em 2015. O casal foi vítima de uma emboscada quando passava de moto pela principal rua do bairro Outeiro, em Araruama. Um carro interceptou a motocicleta e três homens atiraram na direção dos dois. A Tia do Pó, que estava grávida de seis meses, foi atingida por quatro disparos — o bebê não resistiu. Cabecinha morreu na hora.

Últimas de Rio De Janeiro