MP pede cassação de Waguinho, prefeito eleito de Belford Roxo

A 152ª Promotoria Eleitoral ajuizou uma ação contra Waguinho e seu vice por irregularidades na arrecadação e gastos de recursos de campanha

Por O Dia

Rio - O Ministério Público do Rio (MPRJ), através da 152ª Promotoria Eleitoral, pediu à Justiça Eleitoral a suspensão do pleito de Waguinho, prefeito eleito de Belford Roxo nas eleições municipais deste ano, assim como de seu vice, Márcio Canella. De acordo com o pedido, houve irregularidades na arrecadação e gastos de recursos de campanha eleitoral.

Waguinho é deputado estadual em segundo mandato e foi eleito prefeito da cidade da Baixada com 56,99% dos votos válidos (117.352 mil). Na ação, ajuizada em 16 de dezembro, o MP pede a cassação dos diplomas do prefeito e vice-prefeito.

Waguinho e Márcio Canella foram eleitos em Belford Roxo prefeito e vice-prefeito%2C respectivamente%2C nas eleições deste anoDivulgação

Segundo as investigações do órgão, os dois candidatos, da coligação Unidos para Mudar Belford Roxo, descumpriram normas da legislação eleitoral. Uma delas é que a movimentação financeira da campanha deve ser feita por conta bancária aberta para esse fim. Entretanto, segundo a denúncia, antes da abertura da conta, os dois fizeram “vultuosos gastos” com material de propaganda.

No relatório de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), apreendido em 3 de agosto de 2016, foi encontrado um "luxuoso material de propaganda dos candidatos." O MP afirma, no entanto, que a conta da campanha de Waguinho foi aberta somente em 11 de agosto e começou a ser movimentada em 5 de setembro.

Últimas de Rio De Janeiro