É hora da virada! Rio jamais ganhou na Mega do dia 31/12

Paulistas tiveram mais sorte no concurso, que este ano pagará R$ 225 milhões

Por O Dia

Rio - Cidadão fluminense, a nossa sorte está em jogo. E a nossa reputação também! O Estado do Rio jamais viu um bilhete da Mega da Virada ser agraciado em sete anos de concurso. Então, corra até a lotérica mais próxima: o cobiçado sorteio corre sábado à noite. A bolada está estimada em polpudos R$ 225 milhões.

Clique para ler o infográfico

O DIA também separou algumas curiosidades do badalado prêmio — como o 36, bolinha que mais caiu no último dia do ano. Não é o maior da história, pelo menos por enquanto, já que o volume de apostas interfere no valor final a ser pago. A Mega da Virada de 2014 rendeu R$ 263 milhões, divididos entre quatro sortudos, que levaram cada um quase R$ 66 milhões.

Não foi num 31 de dezembro, porém, que a Mega fez o maior milionário da história: em 25 de novembro de 2015 uma aposta de Brasília levou sozinha R$ 205 milhões. A capital federal, aliás, costuma ser pé-quente na virada: três bilhetes já cravaram as seis dezenas do sorteio especial. A cidade de São Paulo também é ‘tricampeã’, e o estado reina absoluto — um em cada quatro bilhetes vencedores é paulista.

Rizolete Cordeiro fez sua parte para tentar trazer a Mega da Virada para o Rio e já garantiu sua fezinhaLuiz Ackermann / Agência O Dia

Rizolete Cordeiro, 72 anos, quer virar esse jogo. “Já ganhei, mas só coisa pouca, besteira mesmo. Quem sabe agora dou sorte?”, brinca a dona de casa, que diz ter mais sorte na Lotofácil. “Se eu ganhar na Mega da Virada, quero fazer muita coisa. Ajudar meus filhos, minha família, algumas entidades. Já tenho um plano direitinho na minha cabeça de como gastar o dinheiro, quero ajudar muita gente. Tô precisando muito!”, ressalta.

Já Claudiana da Conceição, 30 anos, atendente da Casa Lotérica Arcada, na Avenida Gomes Freire, não acredita que o sortudo seja daqui do Rio. “O movimento está muito fraco. Parece que o pessoal está desiludido com a Mega. Acho que é por causa da corrupção. O volume de apostas caiu muito, menos da metade”, diz.

“Mas isso aumenta as chances de quem jogar. Já joguei o meu, isso está garantido há muito tempo, não pode faltar”, ri. “Ainda não sei o que vou fazer se ganhar o dinheiro. Vamos ganhar primeiro e depois planejar”, desconversa.

Claudiana tem razão: o volume de apostas cai ano após ano. Em 2013, foram 379 milhões de jogos; em 2014, caiu para 348 milhões; ano passado, despencou para 177 milhões — talvez por causa do aumento do valor do bilhete simples, que nos últimos três anos pulou de R$ 2 para R$ 3,50. Ainda não há números de 2016.

Se a sorte é igual para todos, dá para forçá-la um pouquinho. Basta pagar para ver se ela vem. Como em quase todos os sorteios da Caixa, é possível apostar em mais dezenas. Na Mega, existe a possibilidade de marcar 15 números, mas a fezinha fica salgada: você ‘morre’ em R$ 17.517,50. Mesmo apostando alto, você tem mais chance de morrer num acidente de trânsito que levar a superbolada...

Com Alessandra Monnerat

Últimas de Rio De Janeiro