Preso um dos suspeitos de matar sargento da PM na frente da filha

"Lorão" foi achado no Hospital Souza Aguiar, no Centro. O militar Renato Liberato Neto foi assassinado em outubro, ao tentar reagir um assalto

Por O Dia

"Lorão" era procurado pelo latrocínio contra o sargento da PM%2C Renato Liberato Neto%2C em outubro.Divulgação

Rio - Foi preso na noite nesta quarta-feira, um dos suspeitos de ter assassinado o sargento da Polícia Militar, Renato Liberato Neto, que morreu na frente da filha, em outubro deste ano. Edvandro Luiz Galvão Muniz, o "Lorão", era procurado pela polícia e foi localizado no Hospital Souza Aguiar, no Centro, após fugir do Morro da Conceição. Com ele, os policiais aprenderam uma moto, que foi utilizada no crime. Outros dois envolvidos no latrocínio estão sendo procurados. Cláudio Barbosa de Lima e José Maicon Nunes da Silva, o "Bolão". 

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização de pessoas procuradas pela Justiça, pode denunciar pelo Whatsapp ou pelo Telegram do Portal dos Procurados, nos números (21) 96802-1650. Também pelo facebook, www.facebook .com/procurados.org, ou ligando para o Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou ainda pelo aplicativo do Disque-Denúncia. Em todos os canais, o anonimato é garantido.?

Relembre o caso

No domingo, dia 23 de outubro, o sargento Renato Liberato Neto, lotado na corregedoria da PM, tinha acabado de entrar com a filha, de 10 anos, na Lojas Americanas da Rua Sacadura Cabral, na Saúde, Zona Portuária, quando percebeu um assalto em andamento dentro do local. Ele reagiu e tentou sacar a arma, mas acabou rendido pelos assaltantes e baleado. Liberato Neto foi levado com vida para o Hospital Central da PM, no Estácio, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A menina foi atingida por estilhaços na perna, mas ficou fora de perigo.

Últimas de Rio De Janeiro