Réveillon em Copacabana registra menos atendimentos médicos do que em 2016

Entretanto, número de transferências para hospitais públicos foi maior do que ano anterior

Por O Dia

Rio - A festa de virada de ano em Copacabana, na Zona Sul, teve menos atendimentos médicos do que em 2016. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os postos montados na orla fizeram 578 atendimentos, contra 740 atendimentos realizados ano passado.

Entretanto, o número de remoções para hospitais do município foi maior: do total, 70 pessoas deram entrada com quadros mais graves e acabaram transferidas, contra 46 do ano anterior. Os principais motivos de atendimento foram intoxicação alcoólica, mal estar devido ao calor, picos de pressão, traumas e fraturas devido a quedas, além de cortes causados por cacos de garrafa jogados na areia da praia, principalmente nos pés.

Nesse ano, por conta da crise, o show pirotécnico do réveillon mais famoso do país precisou ser reduzido de 16 para 12 minutos.

Últimas de Rio De Janeiro