Por gabriela.mattos
Rio - O prefeito Marcelo Crivella passou pela primeira saia justa de sua gestão na manhã de ontem, durante a apresentação da nova secretária de Cultura, Nilcemar Nogueira, no Teatro Carlos Gomes, na Praça Tiradentes, no Centro do Rio.
Diante de uma plateia formada por inúmeras personalidades da área cultural, dos mais diversos setores, Marcelo Crivella disse que está na hora de “realizar mais com menos”.
“Cultura é troca. O artista, o escultor e o músico trocam sua arte por um sorriso, um sentimento, um aplauso”, discursou o prefeito, que em seguida foi interrompido aos gritos de “cultura é trabalho”, “emprego”, “comida”. Os manifestantes foram aplaudidos pela plateia.
Publicidade
Visivelmente constrangido, Crivella respondeu com um tímido “também” e prosseguiu com uma explicação que não agradou ao público, comparando a Petrobras às comunidades carentes.
“Vamos olhar para estes dois polos. A nossa maior riqueza, a Petrobras, na descoberta do pré-sal fez tão pouco com tanto. As nossas comunidades com tão pouco fazem tanto. Essa cultura de fazer mais com menos é que peço a Deus para que a Nilcemar possa nos guiar”, disse.
Publicidade
Em seguida, Crivella citou os exemplos Cartola e Dona Zica, baluartes de Mangueira e avós de Nilcemar, para tentar amenizar o clima. E ouviu mais vaias.
“A maior lição para nós talvez tenha vindo da Dona Zica e do Cartola, que não precisaram de muito para se tornarem imortais nas nossas almas. Que Deus nos ajude, e a cultura do Rio seja extraordinária”, concluiu.
Publicidade
A nova secretária, também constrangida, pediu compreensão à plateia. “Gente, é o início de um governo. O orçamento só abre em março. Eu também sou produtora cultural. Vamos falar a mesma língua”, pediu Nilcemar.
Em seu discurso, mostrando firmeza e bom humor, Nilcemar brincou com Crivella ao também pedir verba para a Cultura. “Agora vai um recadinho para o meu chefe (risos): vamos lutar pela dotação de pelo menos 1% do orçamento da prefeitura para a área”, disse, sob aplausos.