Por gabriela.mattos

Rio - "Perdi! Perdi! Não atira! Eu não sou policial militar”. Com as mãos para o alto, o PM Bruno Aurélio de Carvalho, de 28 anos, implorou para não ser morto por bandidos armados que atiraram contra seus dois colegas de farda durante roubo a um veículo de carga ontem de madrugada, na Rodovia Presidente Dutra. Mesmo com o pedido, Carvalho levou uma coronhada na cabeça e desmaiou. A informação é do delegado Willians Batista, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, que abriu inquérito para investigar a morte de Marcelo Abdalla Neder, 34. O soldado entrou para as estatísticas como o sexto policial assassinado em apenas cinco dias de 2017.

Neder foi baleado no pescoço durante a ação que também deixou marcas no soldado Carlos Roberto Freitas, 35. Ao tentar fugir, ele foi baleado na perna. Os feridos foram levados para o Hospital Municipal da Posse, em Nova Iguaçu, e já receberam alta. Os PMs moram nas cidades de Resende e Barra Mansa, no Sul Fluminense, e seguiam em direção à Zona Norte do Rio, rumo à UPP Camarista/Méier, onde são lotados.

Carlos Roberto foi baleado na perna ao tentar fugir dos bandidos. Ele deixou hospital em cadeira de rodasSeverino Silva / Agência O Dia

Segundo o delegado, sete bandidos, dois dos quais portavam fuzis, utilizaram uma caminhonete para abordar três caminhões de entrega dos Correios, por volta das 4h, no trecho de Comendador Soares, em Nova Iguaçu. Sem saber o que se passava à frente, os policiais ultrapassaram os veículos, mas ao emparelharem com o primeiro caminhão viram os bandidos rendendo o motorista e tentaram fugir.

“Os PMs foram confundidos com seguranças de escolta armada. O policial que dirigia (Freitas) ficou nervoso, jogou a arma em direção ao carro e correu em fuga. Na ação, os bandidos atiraram na perna dele. O outro militar (Neder) foi baleado no pescoço e morreu no local. O terceiro policial (Carvalho) estava desarmado e, por isso, os bandidos bateram na cabeça dele com uma pistola”, explicou.

Ainda segundo o delegado, os policiais só não morreram porque suas fardas estavam escondidas no porta-malas do carro e na mochila de uma das vítimas. Tanto o carro como as armas dos PMs foram levados pela quadrilha, além do caminhão dos Correios, com dois funcionários. Por ser equipado com rastreador via satélite, o veículo de carga foi bloqueado no Trevo das Margaridas, na chegada à Avenida Brasil.

Sem concluir o roubo, os bandidos liberaram os entregadores e fugiram, liberando os reféns. Imagens de câmeras de segurança da via serão analisadas pelos investigadores, além de um projétil, que pode ajudar a descobrir a autoria dos disparos.

Vídeo mostra ação na Tijuca

Um vídeo mostra cinco ladrões fugindo após assaltarem uma joalheria do Tijuca Off Shopping, na Rua Barão de Mesquita, na Tijuca. O crime aconteceu na noite de quarta-feira. Na ação, um policial militar que estava trabalhando como segurança do local foi morto. Jefferson Cruz Pedra, de 37 anos, chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu. Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), ele estava de folga e tinha dois anos na corporação. O policial foi enterrado nesta quinta-feira, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

Na ocasião, um casal também foi baleado. Vinicius Noronha Hajar, 35, e Flávia Iarangeira Cardoso, 44, também foram socorridos e encaminhados ao mesmo hospital e não correm risco de morte.

O Portal dos Procurados está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil para quem ajudar na identificação dos suspeitos de matar os dois PMs. Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do envolvidos nas mortes de Marcelo e Jefferson, pode informar pelo WhatsApp ou Telegram dos Procurados (21) 96802-1650; pelo www. facebook.com/procurados.org/, pelo Dique-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo aplicativo do DD. O anonimato é garantido.

Secretário pede rigor em apuração

O secretário estadual de Segurança, Roberto Sá, se reuniu com o chefe de Polícia Civil, Carlos Leba, e o comandante geral da PM, coronel Wolney Dias, para cobrar providências sobre as mortes de policiais. Ele pediu rigor nas investigações e rapidez na identificação dos assassinos. Sá exigiu ainda que as corporações adotem medidas de proteção aos agentes, como a Operação Deslocamento Seguro, que aumentou o policiamento nos locais e horários com maior incidência destes crimes.

“A missão do secretário (Roberto Sá) é conter a violência. Se nada for feito, as pessoas vão deixar caminhar nas ruas por medo”, destacou Paulo Storani, especialista em segurança pública. Segundo ele, “os bandidos estão atacando os policiais para afrontar o estado”. “O estado precisa reconhecer que vive uma situação grave e realizar ações para não perder o controle”.

Ex-PM morto diante da mãe

Um ex-PM foi morto ontem à noite,em Mesquita, na Baixada Fluminense. Segundo policiais do 20º BPM (Mesquita), Rafael Azeredo estava no carro acompanhado da mãe quando foi abordado por bandidos armados, próximo à comunidade da Coreia. Houve troca de tiros e os bandidos escaparam. 

Rafael foi atingido por pelo menos quatro tiros. A mãe dele se jogou na frente do filho para tentar defendê-lo e também foi alvejada na perna. Os dois foram socorridos para a Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, em Nova Iguaçu.

De acordo com o tenente-coronel Marcelo Malheiros, comandante do 20º BPM, Rafael havia conseguido uma liminar para retornar à corporação após ter sido desligado, mas esta medida perdeu o valor em dezembro.

Reportagem de Jonathan Ferreira

Você pode gostar