Por gabriela.mattos

Rio - Um dos sindicatos que representam os cerca de 5 mil empregados da Cedae, o Sintsama-RJ, já se mobilizou contra a proposta de privatização da empresa de saneamento que pertence ao Estado do Rio. A venda da empresa à iniciativa privada é uma condição imposta pela União para socorrer financeiramente o Rio.

Servidores da Cedae fizeram protesto contra a privatizaçãoWhatsApp O DIA (98762-8248)

"A Cedae é a nossa Petrobras, representa para o Estado do Rio o mesmo que a petrolífera significa para o Brasil. A Cedae é a nossa joia da coroa, a única empresa pública que dá lucro ao governo do Rio, e justamente por isso querem vender. Privatizá-la pode resolver no curto prazo, mas as contas do Estado não vão acabar", diz João Xavier, diretor financeiro do sindicato, para quem os investimentos da empresa diminuiriam sob gestão privada.

"A Cedae ainda tem que investir muito, principalmente em esgoto, e um particular certamente cortaria os gastos", prevê. "Como essa proposta não é nova, já sabemos da posição de uma parte dos parlamentares, e acreditamos que eles não vão permitir a privatização", disse o sindicalista. "De 35 a 40 deputados já estão com a gente", avalia.

Na próxima semana, os sindicalistas pretendem se reunir com deputados, individualmente, para reafirmar a posição contrária à privatização.

Você pode gostar