Por gabriela.mattos

Rio - Investigações policiais indicam que a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), originária de São Paulo, continuaria abastecendo aliados no Rio com armas de guerra. Nesta semana, o Serviço de Inteligência da polícia paulista descobriu que os criminosos mandaram pelo menos 17 fuzis para a facção Amigos dos Amigos (ADA), que tem como uma das principais áreas de atuação a Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul.

A polícia não tem informações detalhadas de como o armamento foi transportado até o Rio. Já sabe, no entanto, que ocorreu dias depois do massacre que matou 60 detentos nos presídios de Manaus (AM). Todos os mortos eram do PCC. Bandidos da Família do Norte (FDN), facção criminosa que domina o Norte do país, são apontados pelas autoridades como os responsáveis pelas mortes.

A Polícia Civil de São Paulo também investiga a informações de que o PCC havia mandado outros 14 fuzis para a ADA no segundo semestre de 2016. Alguns integrantes da facção criminosa paulista estariam morando na Rocinha para ajudar os aliados a controlar o tráfico de drogas na área.

A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC)%2C de São Paulo%2C sofreu baixas com a morte de 60 presos durante massacres em ManausMarcelo Camargo / Agência Brasil

Guerra contra o CV

As investigações comandadas pelo promotor Lincoln Gakiya indicam que os massacres nos presídios do Norte do país estão relacionadas com a guerra declarada entre o PCC e o Comando Vermelho (CV). Aliados desde os anos 90, os bandidos teriam cortado as relações em junho do ano passado, depois da morte do bandido Jorge Rafaat, que comandaria o tráfico na fronteira com o Paraguai. “O PCC passou a dominar esse espaço e não dividiu com o CV”, explicou o promotor.

Para o procurador de Justiça Marcio Sérgio Christino, especialista em crime organizado, a guerra entre as duas facções foi declarada em outubro, após a morte de 18 detentos em presídios de Roraima e Rondônia.

Alianças do tráfico

“Simultaneamente, o CV fortaleceu alianças com facções locais das regiões Norte e Nordeste, onde o PCC enfrenta forte oposição. Já o PCC fez aliança principalmente com inimigos do CV, como a ADA”, disse Christino.

Vídeos exibidos em redes sociais recentemente deixam claro que as quadrilhas do Rio estão fortemente armadas. Bandidos se exibem com armamento pesado até mesmo em áreas onde há Unidades de Polícia Pacificadora (UPP).

As unidades policiais foram instaladas em áreas de tráfico de drogas para combater os bandos e acabar com o uso de armas pesadas, como fuzis.

Você pode gostar