Informe do DIA: Pezão tenta reconquistar apoio da Alerj

PDT e DEM, que votaram contra pontos cruciais das medidas propostas pelo Palácio Guanabara, ganharão mais secretarias no governo

Por O Dia

Rio - Para evitar novo fiasco como o ocorrido durante a votação do pacote de austeridade enviado à Assembleia Legislativa, o governo estadual tenta reconquistar o apoio da Casa. Segunda e terceira maiores bancadas da Alerj, PDT e DEM, que votaram contra pontos cruciais das medidas propostas pelo Palácio Guanabara, ganharão mais secretarias no governo de Pezão. 

O deputado Thiago Pampolha (PDT) comandará a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, antes chefiada por Marco Antônio Cabral (PMDB). Pampolha venceu disputa com Chiquinho da Mangueira (PTN), que também era cotado para o cargo.

Líder do PDT na Alerj, Luiz Martins diz que a medida não garante o retorno do partido à base do governo. “Essa questão será decidida quando o (Carlos) Lupi (presidente nacional da legenda) se reunir com a bancada. O PDT é contra a privatização da Cedae, por exemplo”.

Um é pouco, dois é bom

Para satisfazer o PDT, o Palácio Guanabara estuda oferecer mais uma pasta. Uma das analisadas é a de Agricultura e Pecuária. Ex-titular da secretaria, Christino Áureo (PP) assumiu a Casa Civil anteontem.

Ampliação

O DEM, que já integra a base do governo com a Secretaria de Meio Ambiente, ganhará mais uma pasta. O deputado Jorge Felippe Neto é o mais cotado para assumir a Secretaria de Trabalho e Renda, ocupada por um interino desde que Arolde de Oliveira (PSC) deixou a pasta.

Mais mudança

Pedro Fernandes, que apesar de peemedebista tem feito críticas ao governo Pezão, comandará a Secretaria de Assistência Social. Hoje a pasta é ocupada por João Mattos, indicado pelo próprio Fernandes. A alteração será publicada no Diário Oficial de hoje.
Outro jogo

O Palácio Guanabara acredita que o apoio oferecido pelo governo federal e as recentes decisões favoráveis do Supremo Tribunal Federal tornam o cenário menos sombrio.

“Agora há a possibilidade real de uma contrapartida da União. No pacote de austeridade que mandamos à Alerj ano passado, não havia. Vamos assistir a um outro jogo”, diz um integrante da equipe de Pezão.

Pedido formal

Secretária municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, Clarissa Garotinho enviou carta de intenção à Secretaria Estadual de Assistência Social. Quer que a prefeitura assuma a gestão dos oito restaurantes populares da cidade — algumas unidades fecharam as portas por falta de repasses do estado.

A resposta deve ser dada hoje. A proposta do prefeito Marcelo Crivella foi antecipada com exclusividade pelo Informe em novembro.