Violência a bordo dos ônibus de Caxias

Polícia registrou 2.847 ataques a coletivos em 2016 na cidade, contra 658 em 2015: quatro vezes mais

Por O Dia

Rio - Os roubos em coletivos no município de Duque de Caxias, na Baixada, quadriplicaram no ano passado. Houve 2.847 registros em 2016, contra 658 em 2015. Segundo os dados do Instituto de Segurança Pública, a cidade é a que teve o maior crescimento percentual do Estado no delito (332%), superando até a capital (124%). A sétima reportagem da série ‘Passageiros da Agonia’ mostra a rotina de medo de quem tem que se locomover em coletivos e motoristas da área.

No total, são 173 linhas diferentes que trafegam diariamente pelo município. Além do elevado fluxo de ônibus, a cidade possui peculiaridades geográficas que facilitam o delito.

Bandidos anunciam o assalto antes mesmo de entrarem armados no ônibus no Centro de CaxiasReprodução

“Há favelas com cracolândias perto de terminais rodoviários do Centro, como a Favela do Lixão. Além disso, a Rodovia Washington Luís corta a cidade, facilitando a fuga de bandidos”, afirmou um investigador da 59ªDP, uma das quatro delegacias da cidade.

Em um registro feito na unidade policial no dia 3 de outubro de 2016, um cobrador diz que sofreu “cortes provocados por uma faca” durante um assalto quando o ônibus passava no Centro, justamente perto da Favela do Lixão. As agressões foram flagradas pelas câmeras de segurança do ônibus.

Também filmado, outro assalto ocorreu no dia 23 de outubro, também no centro.
Um ônibus da Viação Flores foi abordado por dois homens que anunciaram o assalto antes mesmo de subir no veículo. Assim que o assalto foi anunciado da calçada, três passageiros que tinham acabado de subir levantaram as mãos. Em seguida, um criminoso sobiu pela porta da frente e já recolheu o boné de um passageiro, revistando outros.

Em outro assalto%2C ocorrido em outubro perto da Favela do Lixão%2C o criminoso esfaqueou o cobradorReprodução

Seu cúmplice o escoltava, ameçando a todos com uma arma. Os dois, então, desceram do ônibus. A ação durou menos de um minuto.

De acordo com o coronel Sérgio Porto, comandante do 15º BPM (Caxias) desde outubro, 45% dos casos aconteceram na Rodovia Washington Luiz. Em reunião com a PRF ficou acertado que a PM poderia patrulhar as rodovias e duas viaturas passaram a atuar exclusivamente neste tipo de delito.

“Já no primeiro mês, conseguimos uma redução em torno de 5% nos casos de roubos a ônibus, com 256 casos. Até o dia 13 de janeiro, tivemos 85 casos registrados, o que representa uma redução de aproximadamente 10% em relação ao mês anterior”, disse.

Roubos

BR-040 - Rodovia Washington Luiz

Pela via trafegam ônibus urbanos e interestaduais. Cerca de 5% dos casos registrados ocorreram na rodovia, que corta Duque de Caxias e é margeada por várias favelas.

Centro

Possui favelas próximas ao comércio, como a do Lixão, que tem uma cracolândia perto de uma estação rodoviária. A proximidade de favelas facilita a fuga de assaltantes.

Avenida Governador Leonel Brizola

Uma das vias mais assaltadas do município da Baixada. Ano passado, 83 ônibus foram roubados nela.

‘Com a arma, ficou ao lado do motorista e pediu o dinheiro’

“Ele pegou a arma e ficou do lado do motorista, dentro da roleta, pedindo ao motorista todo o dinheiro. Mandou todo mundo entregar celular, relógio, anel, pulseira, tudo que tivesse. O cara armado ficou na frente o tempo todo recolhendo o dinheiro dos passageiros. O terceiro ficou sentado lá atrás e nem levantou”. Giselle Ribeiro de Lima, estudante , 25 anos

Últimas de Rio De Janeiro