Por gabriela.mattos
Mensagem enviada por criminoso a menina via FacebookReprodução

Rio - "Então, vc tem um shortinho bem curtinho de dormir para participar? Se tiver é só me chamar no bate-papo que vamos analisar o seu shortinho e vamos ver se você pode concorrer”. Com essa conversa repulsiva, um falso fã-clube da atriz Larissa Manoela, no Facebook, denominado ‘Larinaticas Manoela’ assediava crianças, induzindo-as a postarem fotos em trajes íntimos, sob o argumento de que participariam de um concurso, cujo prêmio seria um um encontro com a artista.

Em outra postagem, uma menininha diz que tem um shortinho curto de dormir, mas explica que não sabe como mandar a foto pela internet. O pedófilo responde: “Ele fica bem curtinho? Até onde ele fica?”. Numa outra mensagem, outra criancinha diz que não tem shortinho de dormir, mas o homem não desiste: “pode ser calcinha de dormir”.

O caso foi revelado nas redes sociais pela tia de uma das vítimas. Ela fez um post de alerta na sexta-feira passada e mostrou prints da conversa entre sua sobrinha de 10 anos e o criminoso, que se passa como empresário de Larissa Manoela. A tia conversou com a sobrinha, bloqueou o perfil e prestou queixa na polícia. “Se tem adulto que acredita em sorteio de iPhone pelo Facebook, claro que tem criança que acredita em conhecer o ídolo através do Facebook também”, escreveu. “Fica aqui o alerta para as mamães, papais, tios e afins, que não deixem essa garotada livre no computador, que se possível sempre olhem com quem eles estão conversando. Aqui em casa não funcionou, mas sei que se a ‘esperta’ estivesse na casa dela teria mandado”, afirmou.

Para a professora de Informática e Robótica do Colégio Liceu Franco Brasileiro, Miriam Lenner, o caso é grave e demonstra a importância de uma campanha esclarecendo pais e alunos. “Todas as escolas devem ter um trabalho de conscientização do uso da internet, que tanto pode ser uma fonte de aprendizado, quanto uma grande vilã”, defende.

A assessoria de imprensa da atriz disse ao site EGO que ela foi informada sobre o caso. “Nós soubemos do ocorrido, a família foi orientada e o caso está sendo investigado pela polícia. Várias pessoas vieram relatar o que aconteceu depois da postagem da tia da criança e a mãe dela entrou em contato conosco. A assessoria jurídica da Larissa prestou assistência. É importante lembrar que as redes sociais da Larissa são verificadas e ela sempre busca divulgá-las para ajudar as crianças a não se iludirem com um perfil falso”. Em greve, a Polícia do Rio ainda não iniciou as investigações.

Você pode gostar