Justiça prorroga prisões temporárias de suspeitos de matar embaixador grego

De acordo as investigações, esposa teria articulado com policial militar o assassinato de Kyriakos

Por O Dia

Rio - A Justiça prorrogou por mais 30 dias as prisões temporárias dos três suspeitos de matar o matar o embaixador grego no Brasil, Kyriakos Amiridis, em dezembro do ano passado. A decisão da  4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, atinge Françoise de Souza Oliveira, Sérgio Gomes Moreira Filho e Eduardo Moreira Tedeshi. O pedido foi feito pela Polícia Civil.

Embaixador e esposaReprodução Internet

De acordo as investigações, Françoise, esposa do embaixador, teria articulado com o policial militar Sérgio Gomes o assassinato de Kyriakos. O policial ainda teria sido ajudado por Eduardo. Os três tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça no dia 30 de dezembro.

PM tentou destruir imagens de câmera de segurança 

Segundo a polícia, o militar Sérgio Gomes Moreira Filho, de 29 anos, tentou destruir as imagens da câmera de uma vila de casas onde ocorreu o crime, em Nova Iguaçu. Nas cenas, o primo do PM Eduardo Moreira de Melo, de 21 anos, aparece ajudando o policial. As câmeras ainda filmaram Françoise entrando em casa com a filha.

Na ocasião, elas voltavam de um restaurante. De acordo com agentes, o corpo ainda estaria dentro da residência quando ambas chegaram. No entanto, Françoise negou que tenha visto algo, assim como negou a participação no caso. 

Últimas de Rio De Janeiro