'Se ele seguisse Cristo, estaria livre', diz pastor que converteu Eike em igreja

Religioso faz culto sobre 'ascensão e queda' e critica os 'evangélicos de fachada'

Por O Dia

Rio - Quando Eike Batista participou de culto em uma Assembleia de Deus de Rocha Miranda, ano passado, muitos se perguntaram se o ex-bilionário havia, de fato, se convertido. Ontem, no dia em que o empresário foi preso, o próprio pastor que recebera Eike na igreja colocou a ideia em xeque. “Se ele seguisse Cristo, do jeito que o Senhor falou para ele aqui, ele estaria livre”, vociferou Daniel Silva, o Danielzinho, no mesmo culto a que o novo preso de Bangu 9 assistiu há cerca de cinco meses. Os fiéis vibraram.

Eloquente, enfático e persuasivo, o pastor se exaltou ao mencionar alguém que teria usado a prisão de Eike para duvidar do poder de sua igreja. E não guardou os xingamentos para si. ‘Imbecil’, ‘idiota’, ‘panaca’ e ‘profetinha de araque’ foram alguns dos escolhidos.

Sermão na igreja de Rocha Miranda ontem teve um clima diferente. Pastor lembrou a participação de Eike Batista em um dos cultos Caio Sartori / Agência O Dia

Cerca de 200 fiéis lotaram a discreta igreja da Zona Norte, cujo portão de entrada divide espaço com uma loja de operadora de televisão. No culto, que começou pouco depois das 15h e passou das 18h, não foram poucos os que se emocionaram, e até choraram, após ouvir o sermão.

Rocha Miranda ocupa a 108ª posição na lista de bairros do Rio por renda per capita, com média de R$ 2.098 mensais, segundo o último censo do IBGE. Jardim Botânico, onde Eike mora, é o 7º, com R$ 10.565. A aparição do empresário, na época, surpreendeu e viralizou na internet.

Empresário Eike Batista foi transferido para Bangu 9Arte O Dia

Quando o vídeo da ‘conversão’ foi divulgado, O DIA também visitou o local e conversou com funcionários para saber como havia sido aquela presença inusitada. Eike sentou-se na primeira das 12 fileiras, em uma cadeira branca de plástico — igual a todas as outras que ocupam o espaço. E ergueu a mão quando o pastor pediu uma forcinha aos fiéis para ‘expulsar o demônio’ do corpo de uma mulher que se debatia no chão. Ninguém soube dizer se ele contribuiu com o dízimo.

Ontem, em várias ocasiões, as frases de efeito do pastor se encaixavam na história de ascensão e queda daquele que já foi o homem mais rico do Brasil — mesmo quando não mencionavam o empresário. “Quem estava rico vai ficar pobre e quem estava pobre vai ficar rico. Quem tinha não vai ter, quem não tinha vai ter.” E mais: “Quem está em cima vai cair. Quem acha que é, não é nada. Porque Deus vai fazer justiça”, vaticinou, a certa altura. Os discípulos, de mãos dadas, exaltavam-no: ‘Aleluia!’

Parede do banheiro é baixa e chuveiro é de água fria

A cela para onde Eike Batista foi levado ontem possui três beliches de concreto, 16 metros quadrados e costuma abrigar oito internos, dos quais dois dormem no chão, em colchonetes. Não foi o caso do empresário. Segundo a Seap, na cela do empresário, estão outros cinco internos. Seus nomes não foram divulgados por questões de segurança.

Antes de entrar na cela, que foi fechada às 17h, Eike recebeu o uniforme, um kit higiênico (com shampoo, sabonete, pasta de dente e escova dental), um colchonete, travesseiro, roupa de cama e toalha. Uma quentinha seria o seu jantar. As paredes do banheiro da cela são baixas, permitindo que quem o usa seja visto do lado de fora. Além disso, só tem água fria.

Ontem, no mesmo presídio um agente foi detido com celulares, Viagra, cartão de celular e dinheiro. Ele foi levado para a delegacia. A unidade não possui bloqueador de celular.

Internautas se divertiram com memes

Prisão do empresário fez internautas criarem piadas na internetReprodução Internet

A prisão de Eike encheu a internet de sátiras. Nem Luma de Oliveira, ex-mulher do ricaço, foi poupada. Um dos ‘memes’ mais compartilhados é uma montagem do empresário com uma coleira no pescoço que traz o sobrenome do juiz Sérgio Moro, manda-chuva da Lava-Jato — em referência ao Carnaval em que a ex-modelo desfilou vestindo uma coleira com o nome do então companheiro, em 1998.

“Chocado que o Eike Batista era na verdade o Lex Luthor (vilão careca de histórias em quadrinhos)”, escreveu um internauta, no Twitter, na legenda da foto de Eike sem cabelo, após se entregar à Justiça.

Houve quem se vangloriou por, pela primeira vez, estar em situação melhor do que aquele que chegou ao posto de sétimo mais endinheirado do planeta em 2012: “Quem diria que em 2017 eu estaria melhor que o Eike Batista!”. A principal notícia de ontem inspirou até flertes virtuais: “Eike Batista se entregou à polícia e você aí resistindo para se entregar nos meus braços!”.

Reportagem de Caio Sartori

Últimas de Rio De Janeiro