Polícia Militar nega documento sobre greve geral dos PMs

Segundo relatos nas redes sociais, ato seria igual ao que ocorreu no Espírito Santo

Por O Dia

Polícia Militar negou documento que diz que haverá greve geral dos PMsReprodução Internet

Rio - Um documento sobre greve dos policiais militares ativos e inativos tem circulado na Internet desde o início desta semana. No entanto, a corporação negou a veracidade do arquivo. O falso despacho, que seria assinado pelo comandante geral da PM, Wolney Dias, mostra que os militares reivindicam o pagamento dos salários atrasados, do 13º, da taxa de periculosidade e auxílio invalidez. Além disso, o texto pede para que a população do Rio não saia às ruas a partir da próxima sexta-feira.

Uma outra imagem, que também circula nas redes sociais, afirma que parentes dos policiais estão organizando um protesto nas portas dos batalhões. Há também áudios sendo compartilhados em grupos de WhatsApp e no Facebook, alertando sobre a possível greve geral dos PMs.

Em nota, a polícia reforçou que está "conscientizando seus integrantes das graves consequências de uma paralisação". A corporação afirmou que os comandantes das unidades estão conversando com as tropas, para mostrar que os atos poderiam afetar a segurança da população e até mesmo a de suas famílias.

Protesto seria parecido com o do Espírito Santo

Segundo as imagens, a manifestação seria parecida com a que ocorreu no Espírito Santo desde o último fim de semana. Pelo menos 30 municípios do estado registraram saques a lojas, assaltos a pedestres e um crescimento no número de homicídios — pelo menos 60 pessoas foram mortas em três dias. A Força Nacional chegou ao estado nesta segunda-feira e o comércio voltou a funcionar na região.

Últimas de Rio De Janeiro