Antigo batalhão para PMs será cela ‘VIP’ da Lava Jato

Após reforma rápida, ex-governador Sérgio Cabral, que está preso em Bangu, poderá ser transferido. Sua esposa e Eike Batista não poderão acompanhá-lo

Por O Dia

Rio - O ex-governador Sérgio Cabral já pode começar a arrumar as malas para mudar de presídio. Ele vai trocar a cela em Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, por uma que está sendo construída às pressas, para os presos da Operação Lava-Jato que têm nível superior, no antigo Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica.

Como não terá ala feminina na nova unidade, a ex-primeira-dama, a advogada Adriana Ancelmo (presa desde dezembro), não vai acompanhar o marido, com quem se encontraria todas as quartas e sábados no banho de sol, em Bangu. Eike Batista, por não ter curso superior, também fica em Bangu.

Policiais presos no antigo BEP foram transferidos para Niterói%2C após ataque a juíza de execuções penaisArquivo O Dia

A Seap estima que a mudança ocorra em 30 dias. São presos da Seap que estão tocando a obra, que, segundo o secretário, coronel PM Erir Ribeiro Costa Filho, vai custar R$20 mil. O secretário comandou a PM em 2012, durante a gestão de Cabral.

O BEP era unidade destinada a policiais e foi desativada em 2015, após uma juíza da Vara de Execuções Penais (VEP) ter sido atacada pelos presos, durante fiscalização. Ao ‘Fantástico’, da TV Globo, o secretário negou que Cabral vá obter privilégios.

A promotora Valéria Videira, responsável pela fiscalização de penitenciárias, pensa diferente. “Vai virar mansão pra Lava-Jato. A falta de fiscalização e a vulnerabilidade do local vão propiciar o ingresso de mordomias e vantagens que hoje não estão ocorrendo (em Bangu)”, disse ao mesmo programa.

Colchões de atletas

 Como mostrou o ‘Fantástico’, na nova cela, Cabral e os demais acusados na Operação Calicute (desmembramento da Lava-Jato), terão mais conforto, pois vão dormir em colchões usados por atletas durante a Olimpíada, além de mais privacidade na hora do banho. Além dos presos federais, os de nível superior e internos de pensão alimentícia estão entre os que serão transferidos para a nova unidade, que terás 216 vagas. 

Últimas de Rio De Janeiro