Manifestantes na Alerj interditam a Rua Primeiro de Março

Protesto ocorre dois dias após a aprovação da venda da Cedae. Nesta terça-feira, foram votadas as emendas que serão adicionadas ao projeto

Por O Dia

Rio - Uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no Centro do Rio, fecha a Rua Primeiro de Março, na tarde desta quarta-feira. O protesto ocorre dois dias após a aprovação da venda da Cedae. Ontem, foram votadas as emendas que serão adicionadas ao projeto.

Nesta segunda-feira, pelo menos 18 manifestantes foram detidos pelo Batalhão de Choque (BPChoque) durante outro protesto. No ato, um pequeno grupo de mascarados entrou em confronto com a PM, que lançou bombas de efeito moral. Na caminhada, o grupo tentou derrubar as grades que dividem a Presidente Vargas por conta o esquema montado para o Carnaval.

A maioria dos deputados votou a favor da venda da Cedae, nesta segunda-feira, na Alerj. Dos 69 parlamentares presentes, 41 votaram a favor e 28 contra a privatização, que prevê a garantia para empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao Estado para pagamento dos servidores e amenizar a aguda crise.

Começam no início da tarde a ser votadas as emendas em destaque. Mais cedo, o presidente da Alerj, Jorge Piccini (PMDB), disse que pretende terminar a votação ainda nesta segunda-feira, embora já tenha sessões marcadas para continuar a votação todos os dias, até quinta-feira.

Na discussão, o projeto de lei recebeu 211 emendas dos deputados estaduais, mas os destaques terão de ser aglutinados, pois o regimento da Alerj impõe limites para a apresentação de destaques por bancada.

Últimas de Rio De Janeiro