Manhã violenta tem registro de cinco policiais militares baleados no Rio

Casos aconteceram no Complexo da Maré, no Complexo do Alemão, no Morro do Juramentinho e em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

Por O Dia

Rio - A quinta-feira começou violenta no Rio para policiais militares. No intervalos de pouquíssimas horas, cinco PMs foram baleados em pontos distintos da cidade e em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Em uma operação do Comando de Operações Especiais da PM (COE) no Complexo da Maré, dois policiais foram baleados durante troca de tiros com criminosos. De acordo com a corporação, um deles foi atingido na perna e o outro no abdômen, mas o disparo não teve muito impacto por conta do colete que o policial usava. Eles foram levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, e estão estáveis, segundo a PM.

Policial baleado na Maré na manhã desta quinta-feira é socorrido Reprodução Facebook

Em outra operação, no Morro do Juramentinho, em Tomás Coelho, o sargento da PM Gilson de Carvalho, de 50 anos, do 3º BPM (Méier) foi atingido no rosto e a bala atravessou o seu pescoço e saiu nas costas. Ele foi internado no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Seu estado de saúde é considerado estável.

No Complexo do Alemão, na UPP Nova Brasília, o soldado Bruno dos Santos Roque, de 35 anos, chegava para trabalhar quando foi atingido por tiros na barriga e coxa direita, no Largo do Samba. Não se sabe de onde vieram os disparos. Ele foi socorrido por outros policiais e levado também para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

PM baleado após deixar mulher no ponto de ônibus

?Um outro policial militar foi baleado durante uma troca de tiros com bandidos na Estrada de Madureira, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, nesta manhã de quinta-feira. De acordo com relatos, ele tinha acabado de deixar a mulher no ponto de ônibus, quando viu dois suspeitos roubando pedestres na via. O PM reagiu e houve confronto no local.

O soldado, identificado como Vinicius Campos, teria sido atingido na boca. Ele foi socorrido, levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuçu e depois transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Até o momento, nenhum suspeito foi preso.

Últimas de Rio De Janeiro