Informe do DIA: Situação do Previ-Rio preocupa futuro presidente

Previsão é que instituto tenha receita de R$ 1,5 bilhão este ano e despesas de R$ 4,1 bilhões

Por O Dia

Rio - A situação do Instituto de Previdência do Município preocupa seu futuro presidente, Luiz Alfredo Salomão, que assumirá o cargo na próxima quarta-feira. Ele quer retomar o pagamento do auxílio-educação, que beneficia filhos de servidores, mas diz não ser possível cravar uma data para que os valores voltem a ser depositados.

A previsão é que o Previ-Rio tenha receita de R$ 1,5 bilhão este ano e despesas de R$ 4,1 bilhões. “Só não perco o sono porque sou velho. E velho dorme pouco”, diz Salomão, tentando manter o bom-humor. A prefeitura estuda formas de fortalecer o caixa do instituto.

Futuro

Perguntado sobre quais seriam essas medidas, Salomão despista. “Ainda não sou presidente.”

As duas posses

No Diário Oficial, consta que Salomão assumirá dia 1º, mas, como é Quarta-feira de Cinzas, haverá uma cerimônia de posse com a presença do prefeito Marcelo Crivella dias depois.

Era uma caixa preta

Nos dois últimos anos da gestão de Eduardo Paes, em 2015 e 2016, o Previ-Rio não divulgou o balanço com receitas e despesas.

Marcação serrada

Após se estranhar com Crivella (PRB), Romário (PSB) aderiu à tática da marcação cerrada. O senador fez um requerimento à prefeitura, via Lei de Acesso à Informação, cobrando detalhes sobre órgãos do município. Entre eles: RioSaúde, RioTur, RioLuz, RioFilme, Comlurb, Empresa Olímpica Municipal e... ufa... IplanRio. Cobra desde o orçamento de cada um deles até o currículo dos respectivos diretores.

E não acabou...

Romário quis saber ainda detalhes sobre a transformação, em subsecretarias, das antigas secretarias da Pessoa com Deficiência e de Esportes.

Falando em esporte

Ex-jogador do Flamengo, o vereador Felipe Michel (PSDB) é o novo presidente da Comissão de Esportes da Câmara Municipal. O tucano já enviou dois projetos de lei para apreciação.

Alma empreendedora

Prefeito de Caxias, Washington Reis (PMDB), por meio de decreto, transferiu para o município a administração dos cinco cemitérios da cidade. Só que a Justiça determinou a devolução à iniciativa privada.

Tetra sofre bullying

Conhecido pela atuação discreta, Bebeto (PDT) foi alvo de brincadeira da correligionária Cidinha Campos. Durante a votação da privatização da Cedae, que contou com a presença de quase todos os deputados, ela emendou: “Bebeeeeto, há quanto tempo não te via por aqui!”. Risos gerais.

Últimas de Rio De Janeiro