O DIA visita mirantes e constata: equipamentos sofrem com falta de segurança

A reportagem esteve em quatro mirantes — Pasmado, em Botafogo; Dois Irmãos, no Leblon; Dona Marta e Vista Chinesa, na Floresta da Tijuca

Por O Dia

Rio - Para quem gosta de estar em contato com a natureza, os mirantes são excelentes opções e oferecem vistas magníficas. Do alto, é possível contemplar, quase como em molduras, a Baía de Guanabara, as praias, o Pão de Açúcar, o Redentor e o Maracanã.

No entanto, ao chegar nesses espaços, não é raro encontrar filas imensas de vans e ônibus de turismo. A falta de policiamento e a precária sinalização dos acessos são o principal motivo para que cariocas e turistas evitem os locais, por receio de entrar em áreas de risco. A reportagem do DIA esteve em quatro mirantes — Pasmado, em Botafogo; Dois Irmãos, no Leblon; Dona Marta e Vista Chinesa, na Floresta da Tijuca — e constatou que em todos eles as reclamações dos visitantes eram as mesmas: falta de estrutura e policiamento. 

Vista Chinesa%3A cenário deslumbrante e nenhum serviço para o visitanteSandro Vox / Agência O Dia

O acesso aos mirantes do Parque Nacional da Tijuca, que abriga a maior floresta em área urbana do mundo, pode ser feito pelos bairros do Cosme Velho, Santa Teresa ou pelo Alto da Boa Vista. Todas as opções oferecem risco ao motorista de entrar, por engano, em comunidades. No final de fevereiro, a turista argentina Natália Cappeti foi baleada após um aplicativo de GPS indicar um caminho que a levou ao Morro dos Prazeres, em Santa Teresa.

“Não vemos policiamento e isso nos passa muita insegurança. O turista fica perdido, pois não há placas informativas em outros idiomas. A vista é belíssima, mas considero o espaço mal aproveitado”, reclamou o militar Magno Pessoa, de 46 anos, que, na sexta-feira, levou esposa e filha, além de um turista suíço que está hospedado em sua casa, para conhecer o Mirante Dona Marta. Segundo ele, o passeio foi encurtado devido ao calor intenso e à indisponibilidade de água potável, sombras, banheiros ou até mesmo de algum quiosque onde se possa comprar um lanche.

Parque Penhasco Dois Irmãos%2C no Leblon%2C tem quatro mirantes e paisagens belas e diversas%2C mas clima de insegurança e má sinalização afastam visitantes Maíra Coelho / Agência O Dia

“Se tivesse uma estrutura melhor o visitante poderia ficar mais tempo”, avaliou a produtora de eventos, Claudia Pessoa, de 45 anos. Acostumado com as baixas temperaturas do inverno europeu, o suíço reclamou da falta de estrutura.

“A vista é maravilhosa, mas o intenso calor reforça a necessidade de um local para se refrescar”, cobrou Kevin Blum, de 27 anos. O espaço conta com uma guarita que dispõe de dois banheiros, mas ambos ficam fechados ao público. A paulistana Daniela Santana, de 33 anos, disse que optou por deixar seus itens pessoais de valor em casa por medo de assaltos.

Parque Penhasco Dois Irmãos%2C no Leblon%2C tem quatro mirantes e paisagens belas e diversas%2C mas clima de insegurança e má sinalização afastam visitantes Maíra Coelho / Agência O Dia

Na Vista Chinesa, uma família de Manaus reclamou da conservação e das poucas opções de transporte. ”Achei o caminho pela floresta muito bonito, mas a Vista Chinesa parece estar abandonada. As pessoas chegam, tiram fotos e vão embora. Como não há policiamento, os visitantes ficam com medo de permanecer por muito tempo”, comentou o aposentado Wanderlan Oliveira, de 52 anos.

Pasmado%3A abandono e pouca iluminação atraem casais%2C mas também usuários de drogas para o localMaíra Coelho / Agência O Dia

DOIS IRMÃOS

Localizado em um dos bairros com metro quadrado mais caro do Brasil, o Parque Penhasco Dois Irmãos, no Leblon proporciona um ambiente harmônico, entre o mar e as montanhas. O local conta com vigilância da Guarda Municipal e de agentes privados em seus quatro mirantes. No entanto, isso não parece suficiente para garantir sensação de segurança.

“Se pudesse ficaria o dia inteiro aqui, mas não há como devido à falta de policiamento. Tentei acessar a parte alta do parque, mas como ela é acesso à comunidade Chácara do Céu, fiquei com medo de errar o caminho. Não há placas sinalizando os limites do parque”, reclamou o fotógrafo Isaac Luz, de 56 anos.

Claudia em selfie no Mirante Dona Marta%3A banheiro fechadoSandro Vox / Agência O Dia

O belíssimo Mirante do Pasmado, em Botafogo, é considerado por frequentadores um local abandonado. “Podia ter um quiosque vendendo lanches e um banheiro. É uma pena que o mirante seja mal aproveitado pelo poder público”, lamentou o fisioterapeuta Luiz Antonio Bandeira, de 66 anos. Já o taxista Severino Ramos, 64, que frequenta o espaço há 30 anos, afirma que muitas pessoas aproveitam a iluminação precária à noite para abandonar animais domésticos ou consumir drogas.

A Polícia Militar informou que o Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) realiza o patrulhamento do Mirante Dona Marta e da Vista Chinesa com viaturas. Ainda segundo a PM, o Mirante Dois Irmãos conta com patrulhamento com motos do 23ªBPM (Leblon). No Pasmado, as rondas são feitas pelo 2ª BPM (Botafogo). Nenhum policial, no entanto, foi visto pelo DIA nos mirantes. A direção do Parque Nacional da Tijuca não respondeu aos questionamentos.

Últimas de Rio De Janeiro