PM é morto em frente à Uerj durante tentativa de assalto

Policial foi abordado por quatro homens armados na manhã desta quinta. Houve troca de tiros e os bandidos conseguiram fugir

Por O Dia

Rio - Um PM foi morto a tiros durante uma tentativa de assalto na Rua São Francisco Xavier, em frente à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), no Maracanã, na manhã desta quinta-feira. De acordo com a polícia, o segundo sargento Renato César Jorge Cardoso, de 47 anos, foi abordado por pelo menos quatro homens armados em motos, que depois perceberam que ele era policial militar. Houve um troca de tiros no local e a vítima foi baleada.

PM foi morto a tiros na manhã desta quinta-feira%2C no MaracanãSeverino Silva / Agência O Dia

Segundo a polícia, os bandidos conseguiram fugir em direção à Tijuca e tentaram assaltar outras pessoas no caminho. O PM estava adido no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª Região. Um morador, que preferiu não ser identificado, contou que um dos assaltantes não conseguiu fugir com a moto do policial.


"Todo dia é a mesma coisa. Os assaltos aqui sempre acontecem no mesmo horário: entre 6h e 8h e depois entre 18h e 20h. São horários de pico. Eles vêm de moto e ninguém consegue pegá-los", completou.

Na tarde desta quarta-feira, outro PM foi assassinado em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Segundo relatos de testemunhas, o sargento Rodrigo Soares Santana Junior, lotado no 6º BPM (Tijuca) teria sido baleado em sua casa. A vítima estava de folga.

Também nesta quarta-feira, um homem foi morto na Praça Barão de Drummond, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio. De acordo com o 6º BPM (Tijuca), o rapaz trabalharia como entregador em um dos quiosques da região, um dos pontos mais movimentados do bairro.

Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta de 20h. Os tiros assustaram quem estava na praça e proximidades, como o Boulevard 28 de Setembro. De acordo com testemunhas, homens encapuzados desceram de um carro e atiraram à queima-roupa na vítima. Pelmo menos 10 disparos atingiram a vítima.

Reportagem do estagiário Rafael Nascimento

Últimas de Rio De Janeiro