Tribunal do Trabalho lamenta morte de PM baleado no Maracanã

Militar era adido no TRT desde 2004

Por O Dia

Rio - O Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT/RJ) divulgou nota, na tarde desta quinta-feira, lamentando o falecimento do sargento da Polícia Militar, Renato Cesar Jorge Cardoso, de 48 anos. O militar foi baleado nesta manhã, durante uma tentativa de assalto no Maracanã, Zona Norte do Rio. 

O servidor era adido no tribunal desde 2004. Atualmente, ele se encontrava lotado no gabinete do desembargador Theócrito Borges dos Santos Filho, exercendo atividades de segurança.

PM foi morto a tiros na manhã desta quinta-feira%2C no MaracanãSeverino Silva / Agência O Dia

De acordo com o TRT, servidores da Coordenadoria de Apoio Externo Institucional do Tribunal dirigiram-se ao local e estão acompanhando as providências relativas ao caso junto aos órgãos competentes. O sargento era casado e deixa duas filhas menores. 

No nota divulgada à imprensa, o Tribunal ainda se solidariza com a família do militar e afirma que os familiares receberão da instituição toda a assistência necessária. 

Relembre o caso

O sargento da PM, Renato César Jorge Cardoso, de 48 anos, foi morto a tiros durante uma tentativa de assalto na Rua São Francisco Xavier, em frente à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), no Maracanã, na manhã desta quinta-feira.

De acordo com informações da polícia, o militar foi abordado por pelo menos quatro homens armados em motos, que depois perceberam que ele era policial. Houve uma troca de tiros no local e a vítima foi baleada.

Ainda segundo a polícia, os homens armados conseguiram fugir em direção à Tijuca e tentaram assaltar outras pessoas no caminho.

Últimas de Rio De Janeiro