Justiça manda recolher imagens de presídio onde está Cabral

Quatro das 16 câmeras estavam sem funcionar

Por O Dia

Rio - A Justiça determinou nesta quinta-feira, o recolhimento das imagens do sistema de segurança do presídio de Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. A medida foi tomada após a equipe de fiscalização da Vara de Execuções Penais (Vep) constatar, em visitas regulares, que algumas câmeras da unidade não estavam funcionando. Na unidade de Bangu 8, está o ex-governador Sérgio Cabral e a maioria dos presos da operação Lava Jato do Rio.

De acordo com o juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, em uma inspeção realizada no último dia 9, para apurar desentendimento entre dois presos, um agente penitenciário informou que uma das câmeras havia deixado de funcionar por certo período de tempo. Ele ainda teria relatado que quatro das 16 câmeras estavam sem funcionar. 

Nesta quinta, ao cumprir a ordem de busca e apreensão dos dispositivos do sistema de monitoramento de vigilância por vídeo, a equipe da Vep verificou que outras três câmeras não funcionavam. O juiz vai analisar o sistema de armazenamento do equipamento para ver se ele contém imagens que podem mostrar possíveis irregularidades no presídio. 


Últimas de Rio De Janeiro