Tiroteio assusta funcionários da Fiocruz e motoristas na Avenida Brasil

Porta da fundação na Avenida Brasil chegou a ser fechada. Troca de tiros ocorre no Complexo da Maré desde as primeira horas desta quinta-feira

Por O Dia

Rio - Um intenso tiroteio, na manhã desta quinta-feira, assustou funcionários da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos. O portão da fundação na Avenida Brasil chegou a ser fechado e a ordem era para que "todos permaneçam em suas salas de trabalho. Não saiam para pátios", segundo um trabalhador. Os tiros ocorrem no Complexo da Maré. 

Motoristas que trafegam na Avenida Brasil nesta manhã também ficaram apreensivos com os tiros. Muitos internautas usaram as redes sociais para relatar os disparos. "Tiroteio desde cedo, na Avenida Brasil altura da Fiocruz", escreveu um. "Tiroteio intenso no Complexo da Maré", disse outro.

Moradores do Conjunto de Favelas da Maré também comentam sobre o tiroteio , mas não se sabe ainda as causas do confronto e dos envolvidos. "Várias informações de tiros pelo Esperança, Vila, Salsa e Marrocos. Caveirão rodando e muitos tiros. Muito cuidado!", escreveu a página Maré Vive. 

Procuradas, as polícias Civil e Militar ainda não informaram se fazem operação no Complexo da Maré. A Fiocruz também não se pronunciou sobre o fechamento do portão e a ordem aos funcionários. 

A Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Lazer informou que na região do Complexo da Maré, sete escolas, três creches e cinco Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) não funcionaram nesta quinta-feira. Por conta do confronto, 5.414 alunos ficaram sem aula.

Últimas de Rio De Janeiro