Recompensa pelo traficante Fernandinho Guarabu sobe para R$ 30 mil

Procurado pela polícia é chefe do tráfico do Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Bandido tem 14 mandados de prisão expedidos

Por O Dia

Recompensa por informações que levem a prisão de Fernandinho Guaburu é de R%24 30 milDivulgação

Rio - A recompensa por informações que levem a prisão de Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, chefe do tráfico de drogas do Morro do Dendê, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, subiu para R$ 30 mil. Anteriormente, o valor oferecido era de R$ 10 mil.

De acordo com a polícia, o traficante também é conhecido pelos apelidos: LG, Cebolinha, Lopes ou Jonhy.

Manda no Morro do Dendê

Guarabu tem 14 mandados de prisão expedidos, sendo o mais recente emitido em 15 de dezembro de 2014, pela 29ª Vara Criminal da Capital, pelo crime de Tráfico de Drogas e Condutas Afins (Art. 33 - Lei 11.343/06). Há também mandados por associação para a prática de tráfico ilícito de substância entorpecente (Art. 14 - Lei 6.368/76) e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e outros (Art. 16 - Lei 10.826/03), e art.17.  

Segundo a polícia, ele teria montado um verdadeiro "exército" para conter o avanço de seus inimigos de facção, ordenando que "olheiros" ocupassem as lajes das casas em ruas ao redor do Dendê. Nos acessos à comunidade, bandidos fazem a "contenção" de seus pontos de drogas. 

Em 2005, o então promotor da 1ª Vara Criminal da Ilha, Sauwei Lai, abriu processo sobre dois casos de esquartejamento. As vítimas, moradores do Dendê, ligadas ao rival de Guarabu e Gil, Claudecy de Oliveira, o Noquinha, foram encontradas na Praia da Rosa.  

O traficante também proibiu que crianças soltem pipas em toda Ilha do Governador após seu primo ter o pescoço cortado por linha de cerol quando circulava de motocicleta pelo bairro. Além disso, Guarabu também teria banido rituais de umbanda, candomblé ou sessões espíritas na região.   

Assistencialista por interesse, Guarabu promete até melhorias na favela, em troca da ausência de denúncias. Ele e Gilberto Coelho de Oliveira, o Gil, o segundo na hierarquia do tráfico e seu braço-direito, fizeram do bairro um território livre para seus crimes, estendendo o domínio até a Baía de Guanabara. Na Ilha, os motoristas de Kombi e van stem que pagar pedágio de R$ 330 para dirigir. A polícia investiga um ex-PM como responsável por pegar o dinheiro dos motoristas e levar a Guarabu. O nome do agente é mantido sob sigilo para não atrapalhar as investigações.

O domínio de Guarabu ao longo do tempo se expandiu para outros negócios. Segundo os investigadores, com operação semelhante a das milícias, o traficante explora também o transporte alternativo, a venda de botijão de gás e a instalação de TV a cabo clandestina e internet. Nesta terça-feira, o portal G1 publicou uma reportagem sobre a proteção dada a Guarabu por policiais do batalhão local em troca de propina.

Como denunciar

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do criminoso, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram dos Procurados (21) 96802-1650; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook .com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo aplicativo do DD. Em todos os canais de denúncias, o anonimato é garantido.

Últimas de Rio De Janeiro