Acusado de matar mulher a facadas na Barra será internado em manicômio

Homem desferiu mais de 40 golpes na vítima, na Ilha da Gigóia

Por O Dia

Rio - A 3ª Vara Criminal da Capital determinou, nesta  quarta-feira, que Edilson Galdino dos Santos, 28 anos, acusado de matar Quissila Tavares Pires, 22 anos, com mais de 40 facadas em um mercado na Ilha da Gigóia, na Barra, Zona Oeste do Rio, seja internado em um manicônio. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira pelo Tribunal de Justiça. O crime aconteceu em outubro do ano passado.

Quissila Tavares Pires estava dentro de um mercadinho quando foi morta Reprodução Internet

Atendendo a um pedido da defesa, o juiz Alexandre Abrahão pediu a imediata internação de Galdino por insanidade mental. O processo ficará suspenso até o retorno do laudo dos exames.

Em seu depoimento, Edilson disse que, no dia do crime, ouvia uma voz em sua cabeça que dizia “Mata! Mata! Mata!”.

Relembre o caso

De acordo com o delegado Fábio Cardoso, após uma perícia realizada pela Delegacia de Homicídios (DH), os agentes encontraram a faca perto do local do crime. A Polícia Civil informou que a vítima foi assassinada por volta das 20h30, com vários golpes. Após cometer o crime, Edilson fugiu.

Os agentes descobriram que o suspeito conseguiu o emprego para a vítima no mercado da ilha onde trabalhavam e, com isto, o autor passou a se interessar pela vítima. Quissila, no entanto, recusou as investidas do autor que, então, com raiva por se sentir rejeitado, matou a mulher.

Em sua página no Facebook, no último dia 12, Edilson publicou uma foto de Quissila com a frase: "Curtindo o feriadão com a minha amiga que gosto". Após três dias, ele disse: "Faço de tudo para agradar as pessoas e só me ferro". No mesmo dia ele escreveu: "Cada dia que passa as pessoas só me enganam e eu sou verdadeiro com as pessoas".

Últimas de Rio De Janeiro