Violência no Rio: Doze pessoas foram mortas em um dia, uma a cada duas horas

Além da jovem Maria Eduarda, outras três pessoas foram mortas na capital. Outros casos foram em cidades da Região Metropolitana

Por O Dia

Rio - Maria Eduarda é uma das 12 vítimas de homicídios registrados somente nesta quinta-feira no Rio e na Região Metropolitana, ou seja, um assassinato a cada duas horas. Na capital, foram outros três casos, além da adolescente: dois homens foram executados em frente à escola da jovem e um PM foi morto durante assalto em Vila Isabel.

Já na Baixada Fluminense, a Delegacia de Homicídios da região registrou seis mortes e, na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI), foram dois casos.

Pais de Duda%2C com a blusa que era usava no momento em que foi atingida dentro de escola em Acari e o buraco deixado pela balaRafael Nascimento / Agência O Dia

'Dano colateral dos mais absurdos', diz porta-voz da PM

?Porta-voz da Polícia Militar, o major Ivan Blaz contou que não havia operações em Acari, na Zona Norte do Rio, no momento em que uma adolescente foi atingida por uma bala perdida, nesta quinta-feira. Maria Eduarda Alves da Conceição, 13 anos, foi morta dentro da Escola Daniel Piza enquanto fazia uma aula de Educação Física, nesta quinta-feira.

Com a morte de Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, dentro de uma escola em Acari enquanto fazia educação física, foram também os seus sonhos. Atleta de basquete, ela colecionava medalhas conquistadas no esporte. Na manhã desta sexta-feira, os pais e o irmão de Duda, como era carinhosamente chamada, estiveram no Instituto Médico Legal para liberar o seu corpo. Os pais da menina carregavam a blusa que ela usava no momento em que foi atingida, onde é visto um enorme buraco provocado pela bala. O enterro da jovem está marcado para o final do dia no Cemitério Jardim da Saudade de Edson Passos, em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Últimas de Rio De Janeiro