Marcelo PQD atuava como mestre de obras em cadeia com túnel

Preso por tráfico fiscalizava escavação

Por O Dia

Marcelo PQD atuava como mestre de obras em cadeia com túnelLéo Corrêa / Arquivo / Agência O Dia

Rio - Preso por tráfico, Marcelo Soares de Medeiros, o Marcelo PQD, atuava como mestre de obras no presídio onde foi descoberto um túnel na noite de segunda-feira, dentro do Complexo Penitenciário de Bangu. Era ele o responsável por fiscalizar uma reforma na quadra interna e tinha a função de cuidar das pás de escavação, por exemplo. A informação foi passada ao DIA por agentes penitenciários e repassada ao Ministério Público.

Marcelo PQD cumpre pena por tráfico de drogas e foi apontado pela Polícia Civil como um dos principais articuladores da entrada de armas no início dos anos 2000 no Rio. Ele está preso desde 2007. O túnel estava embaixo da última cama de uma galeria do Instituto Vicente Piragibe e já tinha cerca de 10 metros de comprimento, na ala D, em direção à frente da cadeia. Também contava com iluminação e espaço para uma pessoa caminhar curvada.

O presídio Vicente Piragibe possui diversas tubulações de esgoto e é considerado uma das unidades mais precárias. Em 2013, 27 detentos conseguiram fugir após escavar um túnel até uma dessas tubulações.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informou que o túnel foi descoberto após investigações da Superintendência de Inteligência e que o local foi interditado. “Os internos foram transferidos para outras galerias. Ressaltamos que uma sindicância foi aberta para apurar as circunstâncias do fato”, acrescentou a Seap.

Últimas de Rio De Janeiro