Homem é preso acusado de matar idosa em Vila Isabel

Suspeito agrediu senhora com coronhadas e chutes na cabeça após discussão por causa de aluguel atrasado

Por O Dia

Homem é acusado de matar idosa em Vila IsabelDivulgação

Rio - Uma dívida de R$ 550 teria sido a motivação para a agressão que resultou na morte de Enir Teles, de 73 anos, em Vila Isabel. A servidora estadual aposentada, que estava com dificuldades financeiras devido aos atrasos nos repasses dos pagamentos pelo governo, não teria quitado o último mês de aluguel da quitinete onde residia sozinha e, por isso, teria sido espancada. O imóvel, que fica em uma vila de oito casas na Rua Visconde de Santa Isabel, pertence à sogra do acusado pelo crime, identificado como Pedro Souza do Nascimento, de 44. Os frequentes atrasos de aluguel fizeram com que o acusado, inicialmente, confiscasse, como forma de pagamento, eletrodomésticos e eletrônicos da vítima. Meses antes do espancamento que culminou na sua morte, a aposentada chegou a procurar a 20ªDP (Vila Isabel) para registrar o roubo de pertences, o que não inibiu as ações do acusado. 

No dia 3 de dezembro de 2016, Nascimento se dirigiu à casa da idosa para cobrar o aluguel e, diante do não recebimento, tentou pegar outros bens. Houve resistência por parte da idosa e eles discutiram. O acusado, então, sacou uma arma e disparou para o alto, o que assustou Enir, que teria tentado fugir. Na ocasião, a idosa foi espancada pelo acusado na frente de vizinhos, sendo atingida por coronhadas e chutes na cabeça.

Prisão por porte de arma

O suspeito chegou a ser capturado, mas foi autuado somente por porte de arma, pois os vizinhos não denunciaram o espancamento da idosa por medo. A aposentada foi socorrida e levada por vizinhos para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde ficou internada por pouco mais de um mês. Ela sofreu traumatismo craniano e ficou em coma induzido até morrer no dia 16 de janeiro deste ano.

Indignados, vizinhos prestaram queixa. Policiais da 20ª DP (Vila Isabel) fizeram diligência no local e constataram o crime. O agressor foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e pode pegar até 30 anos de prisão.



Últimas de Rio De Janeiro