Informe: Governo pode usar recursos do Detran para evitar fim do Centro Presente

O apoio financeiro do Detran também deverá ocorrer na Lagoa, no Aterro e no Méier

Por O Dia

Rio - Para evitar o fim da Operação Centro Presente, que reforça o policiamento no bairro, o governo estadual avalia usar recursos do Detran. Como o Informe revelou com exclusividade na sexta-feira, a Fecomércio, que patrocina o projeto junto com a prefeitura, não tem demonstrado interesse em renovar o contrato, que terminará 30 de junho.

O apoio financeiro do Detran também deverá ocorrer na Lagoa, no Aterro e no Méier — nessas áreas, o contrato com a Fecomércio encerrará 30 de novembro.

A costura é feita pelo deputado estadual Paulo Melo (PMDB), que implementou os projetos quando foi secretário de Governo. Tanto Melo quanto o prefeito Marcelo Crivella (PRB) dizem que vão procurar Orlando Diniz, presidente da Fecomércio, para tentar convencê-lo a manter os investimentos.

Termômetro Vargas

“Hoje você consegue andar pelas ruas do Centro. Antes, para não ser assaltado em pontos como a (Avenida) Presidente Vargas, tinha que contar com a sorte. O programa não pode acabar”, diz Melo.

A parte que lhe cabe

A ideia é que o Detran entre com aporte substancial, mas não assuma a integralidade das despesas, uma vez que já é responsável pela manutenção da custosa Operação Lei Seca.

Efetivo

A Segurança Presente reforça o policiamento pagando gratificação a policiais militares que atuam nas folgas e a reservistas das Forças Armadas. São 522 agentes no Centro; 87, na Lagoa; 76, no Méier; e 90 no Aterro. No Centro, o gasto é de R$ 47 milhões por ano. Nas outras três áreas, juntas, de R$ 22 milhões por ano.

Na Alerj...

Bruno Dauaire (PR) colhe assinaturas na Assembleia Legislativa. Pretende entregar à Fecomércio um manifesto que pede a continuidade do patrocínio.

...e na Câmara

O assunto também será discutido hoje, às 9h30, em audiência na Câmara Municipal. Está dentro da pauta ‘Redução de homicídios’, proposta pelo vereador Fernando William (PDT).

Atrasos

O Centro Presente, que é bancado pela Fecomércio e pela prefeitura, sofre com atraso de repasses do governo municipal: há pendências tanto da gestão atual quanto da de Eduardo Paes (PMDB).

Expansão

A prefeitura diz que vai quitar a dívida nos próximos dias e que pretende estender o modelo para mais bairros, como Copacabana. Superintendente regional da Zona Sul, Marcelo Maywald tem conversado com executivos da rede de hotéis Windsor para tentar fechar parceria.

Últimas de Rio De Janeiro