Ônibus são incendiados em represália a operações em favelas

PM fez operação nas favelas de Parada de Lucas na Cidade Alta, que foi palco de uma guerra entre facções nesta madrugada

Por O Dia

Ônibus é incendiado na Rua Bulhões Marcial%2C em Parada de LucasWhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Pelo menos oito ônibus e dois caminhões foram incendiados, na manhã desta terça-feira, nas regiões de Cordovil, Penha e Bonsucesso, e Duque de Caxias, na Baixada, em represália a uma operação policial nas favelas da Cidade Alta e Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio. O município do Rio entrou em estágio de atenção por conta do ataque dos criminosos. De acordo com a PM, 40 suspeitos foram presos na Cidade Alta e 32 fuzis foram apreendidos. Três policiais militares ficaram feridos por estilhaços na Favela Kelson's, na Penha. 

Segundo o major Ivaz Blaz, porta-voz da PM, as ações orquestradas visam mobilizar a polícia para estas regiões e abrir espaço para fuga dos bandidos que estão encurralados na Cidade Alta, após a tentativa de invasão.

"Foram apreendidos 17 fuzis, o que não é uma situação normal em lugar nenhum do mundo", disse à Globo News mais cedo Blaz, porta-voz da PM, ressaltando que a corporação esta atuando para neutralizar os criminosos.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), três ônibus foram incendiados na Rodovia Washington Luiz (BR-040), em Duque de Caxias. Na Avenida Brasil, colocaram fogo em ônibus e caminhões nas alturas da Penha, Cordovil, Vigário Geral e Bonsucesso, trechos interditados para o trânsito. Bombeiros controlaram as chamas e a CET-Rio atuam nas regiões. Helicópteros do Grupamento Aeromarítimo (GAM) da PM sobrevoam as vias afetadas e o Batalhão de Policiamento de Vias Expressas (BPVE) fazem o policiamento nas rodovias.

O município do Rio entrou em Estágio de Atenção às 10h50 por conta dos ataques de criminosos. O Estágio de Atenção é o segundo nível em uma escala de três e significa que um ou mais incidentes impactam, no mínimo, uma região, provocando reflexos relevantes na mobilidade. A Avenida Brasil já apresentava problemas no trânsito por conta de interdições para obras do BRT Transbrasil.

Guerra entre facções na Cidade Alta

Uma guerra entre facções na Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio, deixa moradores em pânico desde a madrugada desta terça-feira. A intensa troca de tiros ainda ocorria nesta manhã e prejudicou a vida de trabalhadores e pais que não puderam deixar seus filhos nas escolas. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) e outros batalhões fazem operação na favela.

Dezessete fuzis foram apreendidos pela PM na Cidade Alta%2C em Cordovil%2C onde 26 suspeitos também foram presosDivulgação

O tiroteio começou ainda pela madrugada quando criminosos de uma facção rival da Cidade Alta que vieram de Parada de Lucas chegaram ao local fortemente armados. Traficantes foram flagrados pela TV Record andando pela comunidade com armas em punho. 

Por conta da guerra na Cidade Alta, crianças e adolescentes não tiveram aula em escolas da região. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, são 3.109 alunos sem atendimento nesta manhã nas regiões da Cidade Alta, Parada de Lucas e Vigário Geral.

Últimas de Rio De Janeiro