Guerra era anunciada nas redes sociais

Polícia monitorava mensagens trocadas por traficantes rivais. Mesmo assim, não conseguiu coibir confronto

Por O Dia

Rio - A disputa territorial entre duas facções rivais que protagonizaram um intenso confronto na Cidade Alta, na madrugada de terça-feira, já estava sendo divulgada nas redes sociais. Traficantes do Comando Vermelho (CV) e do Terceiro Comando Puro (TCP) postaram vídeos no dia 22 de janeiro em uma página do Youtube trocando ameaças. Em um dos áudios, um traficante que se identifica como membro do Comando Vermelho promete retomar o controle do tráfico na Cidade Alta: “Se prepara que nós (sic) vai pular aí dentro. A Cidade Alta vai voltar a ser do Comando Vermelho”, prometeu. Em resposta, um membro do TCP provoca o rival. “Estamos aqui no miolo, vem aqui caçar a gente”, desafiou.

O conteúdo foi compartilhado por outros perfis e recebeu pelo menos 50 mil acessos. Mesmo com o aviso sobre um possível confronto armado, as quadrilhas não foram interceptadas pela polícia antes de iniciar a guerra que paralisou o Rio na manhã de terça-feira.

Apesar de monitorar a ação dos traficantes%2C polícia não conseguiu evitar o confronto entre CV e TCP. Na operação%2C 32 fuzis foram apreendidos Márcio Mercante / Agência O Dia

A Polícia Militar foi acionada por moradores durante a madrugada daquele dia, mas a tropa só conseguiu preparar o cerco e interceptar as quadrilhas no início da manhã, quando 45 suspeitos foram presos.

Os áudios estavam sendo monitorados pela inteligência das polícias. Procuradas sobre as mensagens, a Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública não quiseram comentar sobre conteúdos de investigações em curso. A PM informou que o setor de inteligência está monitorando possíveis ações criminosas, mas ressaltou que as ações são estratégicas e sua divulgação comprometeria os resultados.

Em nota, a assessoria do Youtube informou que só remove conteúdos mediante decisão judicial. “Se um juiz determina remoção de conteúdo, a ordem é cumprida”, diz. E completa garantindo que “as diretrizes da Comunidade do YouTube são claras em relação a conteúdos nocivos ou perigosos. Vídeos que estimulam outras pessoas a cometer atos de violência são estritamente proibidos no YouTube”.


Tática usada para despistar a polícia

Na manhã de terça-feira, ao perceberem que estavam cercados pela polícia, traficantes do Comando Vermelho colocaram em prática a segunda parte do plano: acionaram comparsas que atuam em outras três comunidades para que ateassem fogo em ônibus e caminhões, a fim de dispersar a ação da PM.

A ordem foi acatada e os criminosos das comunidades Kelson’s e Nova Holanda, na Zona Norte, e do Parque das Missões, em Duque de Caxias, incendiaram nove coletivos e dois caminhões na Avenida Brasil e na Rodovia Washington. O município do Rio ficou em estágio de atenção — o segundo em uma escala de três — até as 19h.

No cerco policial na Cidade Alta, além dos presos, dois suspeitos foram mortos e três PMs ficaram feridos por estilhaços de uma granada. Os policiais também apreenderam 32 fuzis, quatro pistolas e 11 granadas.

Ousadia do TCP

Após a tentativa frustrada de invasão de traficantes do Comando Vermelho à Cidade Alta, bandidos do Terceiro Comando Puro usaram as redes sociais para festejar. Fotos postadas no Facebook e enviadas pelo Whattsapp mostram que até fogos chegaram a ser disparados pelos traficantes que não foram removidos da Cidade Alta. Em uma imagem, identificadas pela Polícia Civil como um afronta aos criminosos rivais, um homem aparece fazendo o numeral 3 com os dedos. O gesto é símbolo da facção TCP. Ao fundo há fogos de artifício.

Últimas de Rio De Janeiro