PMs transferidos de batalhão são suspeitos de favorecer traficantes

Policiais do 16º BPM são acusados de dar carona a traficantes em caveirão, no dia 18 de fevereiro, durante operação na Cidade Alta

Por O Dia

Rio - O comandante geral da Polícia Militar, coronel Wolney Dias, confirmou que nove sargentos do 16º BPM (Olaria) transferidos na sexta-feira para outras unidades são investigados por suspeita de envolvimento com atividades ilícitas, inclusive favorecimento a traficantes de uma determinada facção. Também será investigada a denúncia, feita por áudio que circulou no domingo, de que PMs do batalhão deram carona a traficantes em um caveirão (o blindado da corporação) no dia 18 de fevereiro, durante operação na Cidade Alta, em Cordovil.

Pelo menos 45 homens foram presos na operação da polícia%2C elogiada por especialista em segurançaMárcio Mercante / Agência O Dia

Nesta segunda-feira, o Ministério Público do Rio anunciou que vai investigar a conduta dos PMs do batalhão durante operação na Cidade Alta no dia 2 de maio, que parou a cidade. A medida se baseia também em “áudio informando que um grupo de policiais teria recebido R$ 1 milhão para transportar traficantes de volta à comunidade, dentro do ‘caveirão’, na retomada do território”, informou o MP, em nota.

A Corregedoria Interna da PM também instaurou procedimento para investigar os PMs. “Eles foram transferidos porque o comandante da unidade achou conveniente, já que estavam sob suspeita de investigação de possível facilidade com atividades ilícitas”, disse Wolney Dias. O comandante do 16º BPM será convidado a depor no MP.


Últimas de Rio De Janeiro