Informe: PSDB discute se permanece ou desembarca do Governo Temer

O partido está 'bem dividido', de acordo com o presidente do PSDB no Rio, Otavio Leite, que já defendeu renúncia do peemedebista

Por O Dia

Rio - Presidente nacional do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) vai se reunir hoje, às 15h, com a bancada do partido na Câmara dos Deputados. Os tucanos vão discutir a permanência ou o desembarque do governo de Michel Temer e podem anunciar a decisão ainda hoje.

Até então principal aliado de Temer, o PSDB está “bem dividido”, de acordo com o presidente do partido no Rio, Otavio Leite, que já defendeu a renúncia do peemedebista. “Tem que assumir alguém capaz de acalmar o país e dar prosseguimento às reformas. Alguém com autoridade e respeitabilidade”, avalia. 

Cotado

Tucanos de São Paulo chegaram a sugerir que o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso se lançasse como nome para assumir o governo. O próprio cacique recusou. Disse que, aos 85 anos, já não tem idade para isso.

Logo agora?

A presença de Temer estava confirmada para o Brasil Investment Forum, terça, em São Paulo. Ocorre que o evento é para “fomentar novos negócios e oportunidades de investimentos no Brasil”. Elaborado antes da delação da JBS, o site do fórum diz que “investidores terão oportunidade de avaliar melhorias no ambiente de negócios do país”.

Mas...

Diante da nova crise política e da instabilidade financeira por ela gerada, a presença de Temer e a própria realização do evento foram colocadas em xeque.

Melou?

O ponto alto do evento seria a celebração de um acordo de R$ 20 bilhões entre Brasil e China. E agora?

Quaquá lá

Unha e carne com Lula, o ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá será o candidato do PT ao Senado no Rio. Para o governo, o partido mantém conversas com PDT e PCdoB e estuda lançar o ex-ministro Celso Amorim.

Na ponta do lápis

O Palácio Guanabara conta com, no mínimo, 37 votos para aprovar, na Assembleia Legislativa, o aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14% — precisa de maioria simples (36, caso os 70 deputados compareçam). Após a aprovação, que deve ocorrer amanhã, enviará semana que vem para a Alerj o aumento da contribuição patronal de 20% para 28%.

Efeito colateral

Exame feito quarta em Jorge Picciani (PMDB) constatou que o presidente da Alerj, que está de licença-médica, teve baixa na imunidade por conta da quimioterapia para combater câncer na bexiga. Nova sessão de quimio que deveria ter ocorrido quinta foi feita apenas ontem.

Últimas de Rio De Janeiro