Por thiago.antunes

Rio - Três buracos de aproximadamente 60 centímetros de diâmetro chamam a atenção de quem passa pela área de recreação infantil instalada no Boulevard, próximo à Pira Olímpica. O local onde funcionavam trampolins para diversão das crianças, hoje coloca os pequenos em risco.

O pipoqueiro José Soares, de 52 anos, que trabalha próximo ao buraco, diz que já viu crianças se machucando no local. “Às vezes os pequeninos acham que a brincadeira é entrar no buraco e entram. Já vi crianças caírem”, conta.

A paraibana Luciene Viegas, 30, que passeava pela Orla Conde, ficou curiosa. “Esta área é tão bonita, não deveriam deixar ficar assim. Achei que esse buraco fosse um canteiro”, brincou.

Buracos%2C perto de área de recreação%2C parecem bueiros abertos. Quem passa não entende o que são realmenteMaíra Coelho / Agência O Dia

Responsável pela manutenção daquela área, a Secretaria de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma) informou que vai enviar uma equipe ao local hoje “para identificar as necessidades e fazer os reparos até o fim desta semana”.

A Orla tem a limpeza em dia e policiamento regular, mas basta circular pela região que problemas vão surgindo. Na Praça Marechal Âncora, a via por onde passam os carros continua com buracos grandes. A reportagem do DIA questionou a Seconserma há três meses sobre o local e apenas parte dele foi recuperado. Procurada novamente, a secretaria não informou se pretende retomar as obras.

Já a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp), responsável pelas obras do Porto Maravilha, informou que fornece material à pasta para que realizem os reparos.

Na Via Binário, o policiamento não é tão efetivo. A região, que também faz parte do plano de revitalização da Região Portuária, assim como a Orla Conde não é elogiada. Pedestres se queixam da falta de policiamento. A Cdurp garante que a revitalização vai chegar àquela região, mas não deixa claro o prazo.

Mais moradias e projetos

Na Via Binário, logo após o AquaRio, o policiamento é visivelmente reduzido. Por lá não há tantas atrações turísticas. A sensação de insegurança é criticada por pedestres e motoristas que circulam pela área.

“Às 18h eu vou embora, fica muito deserto isso aqui. Minha filha foi assaltada em plena luz do dia. Bandidos levaram o celular dela. Minha filha ficou assustada”, disse um camelô, que está diariamente na Binário e prefere não se identificar por medo.

Ao longo da via, desde o AquaRio até a Rodoviária Novo Rio, somente nos pontos de ônibus há movimentação de pessoas. À noite, esse fluxo diminui bruscamente. “Não ando aqui à noite por nada”, revela uma ambulante.

Ciente deste cenário, a Cdurp informou que a revitalização também vai chegar àquele trecho. “A companhia trabalha para trazer grandes âncoras, como um hospital de grande porte, complexo universitário, centro gastronômico, teatro com programação contínua, centro de mídia e polo tecnológico”. Também informou que vai ocupar a região com mais residências e que alguns projetos habitacionais já estão licenciados. 

Você pode gostar