Por thiago.antunes

Rio - A votação que determinou o aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14% gerou ontem o dia mais tenso do ano na Assembleia Legislativa. Para começar, a entrada do projeto na pauta fez ressurgir três deputados que não davam as caras há tempos por motivos de saúde.

Ao saber que o 1º vice-presidente da Alerj, Wagner Montes (PRB), comparecera para tentar melar a votação, o também adoentado presidente, Jorge Picciani (PMDB), que fizera sessão de quimioterapia na segunda, dirigiu-se para a Casa. Para a surpresa de todos, o governista Coronel Jairo (PMDB), que trata um câncer na orelha, também reapareceu.

Cuidados

Com imunidade baixa por conta da quimio, Picciani, que trata um câncer na bexiga, teve que tomar algumas precauções. Para evitar contaminação, o copo que usou para beber água foi esterilizado. Ele levou um mamão para comer no intervalo.

Aparência

Mais magro, sua pele estava amarelada, a voz menos grave, e as mãos tremiam um pouco.

Tensão

Antes da votação, na reunião de líderes de bancada, Paulo Ramos (Psol) e Lucinha (PSDB) batiam boca com André Ceciliano (PT), discutindo possíveis emendas para o projeto. Os ânimos só se acalmaram com a chegada de Picciani.

Tensão 2

Na tribuna, o governista André Corrêa (DEM) disse que deputados que votavam contra a medida eram “covardes”. Aí o quebra-pau começou. Luiz Paulo (PSDB) e Julianelli (Rede) reagiram. O psolista chamou Corrêa de “idiota”.

Tensão 3

Quando Iranildo Campos (PSD) discursava, Marcelo Freixo (Psol) tentou tomar o microfone. Campos lhe tascou um tapa na mão. Freixo recuou. Outro embate foi entre Wanderson Nogueira (Psol) e Átila Nunes (PMDB). O primeiro criticou a atuação da Polícia Militar nos protestos de ontem. O segundo defendeu. Disse que a PM combatia black blocs.

Cinco votos pra conta

Como o Informe antecipou, deputados de PDT (2) e PRB (3) votaram junto com o governo.

Paz e amor

A mão no ombro revela que as brigas entre a vereadora Rosa Fernandes (PMDB) e o secretário municipal de Conservação, Rubens Teixeira (PRB), ficaram para trás. Ele foi a evento promovido por ela em Irajá.

Você pode gostar