Conheça histórias de quem não mede esforços para reverenciar seus ídolos

Vale tudo na vida de fãs: sacrifícios, gastos, insônia e festas luxuosas

Por O Dia

Rio - Sacrifícios, gastos exorbitantes, insônia, tatuagens, festas luxuosas, meses de acampamentos em filas, sob sol e chuva. Vale tudo na vida de fãs que não medem esforços para reverenciar seus ídolos. A loucura e os exageros de muitos deles por famosos que amam incondicionalmente, mesmo, na maioria das vezes, sem conhecer os astros pessoalmente, têm sido temas frequentes nas rodas de psicologia. Mas a maioria dos admiradores de ícones, porém, não está nem aí para questionamentos, e não mede esforços para alimentar paixões platônicas.

Natália e João Levy%3A festa no estilo Star Wars para 150 convidadosReprodução

Loucos pela saga Star Wars, por exemplo, dois casais decidiram transformar suas cerimônias de casamento numa espécie de capítulo especial de suas vidas recentemente. O primeiro, dos engenheiros Natália Won-held Rabelo, de 28 anos, e João Levy, 35, para 150 convidados, ao custo de R$ 45 mil, foi no dia 18 de fevereiro, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos.

“Os convidados mais velhos acharam esquisito, mas os demais amaram os enfeites galácticos”, lembra Natália, que cuidou de todos os detalhes. Desde as alianças, “escoltadas” por jedis (pronuncia-se jedáis, os 'guardiões da paz') e pela Princesa Leia, ao som de músicas da trilha, às roupas características e miniaturas de personagens no bolo. Para a casa nova, Levy levou a sua coleção de miniaturas e livros da saga.

No último dia 4, no Rio, a fábula de George Lucas se repetiu na união entre o executivo Rafael Hime Masset, 26, e a advogada Nadja Hime Masset, 27. “Tudo começou de brincadeira e acabou virando um projeto inesquecível”, conta Nadja. Com o cuidado de não transformar o casório em uma festa infantil, a organização se atentou aos mínimos detalhes, incluindo os nomes nas alianças em aurebesh, o alfabeto de Star Wars, a saída dos noivos sob sabres de luz e a entrada para a dança, ladeados por Stormtroopers (da tropa de elite do Império Galático).

Depois de 150 dias acampados no Sambódromo%2C fãs de Justin Bieber foram surpreendidos com mudança de pista%2C o que os deixou longe do palcoReprodução

Já a paulista Michele Reis, de 35 anos, aderecista da Escola de Samba Rosa de Ouro, não mediu esforços para homenagear o pagodeiro Thiaguinho, na festa de aniversário dela mesma, no dia 30 de abril. Ela juntou R$ 4 mil, montou toda a decoração com fotos do cantor, com direito a uma réplica em tamanho natural do artista. Mas, apesar de ter enviado convite, ele não apareceu. “É difícil, por conta de agenda. Mas me diverti com os 50 convidados”, garante Michele, mostrando fotos com o ídolo, num dos 70 shows que já foi.

E o que dizer da mineira Simone Oliveira, 56, que mora em São Paulo? Ela gasta em torno de R$ 500, há 15 anos, com almoços de aniversários para parentes e para... Roberto Carlos. Isso mesmo. No cardápio, tudo que o Rei gosta, embora ele nunca tenha ido. Os convidados a dedo na vizinhança, não podem nem pensar em ir vestidos com a cor marrom. Estranho? Nem um pouco, em comparação com outra obsessão dela: se o maior representante da Jovem Guarda morrer (Deus o livre, diz Simone batendo na madeira), já tem tudo planejado para o funeral. Até um “plano de revezamento na fila do velório”. “Penso nos imprevistos”, diz.

Para fãs mais fervorosos, nada é capaz de abalar os ânimos, quando a missão é chegar próximo ao ídolo. Às vezes dá errado. Em março, depois de cinco meses acampados no Sambódromo para ver o ídolo Justin Bieber, 750 pessoas foram pegas de surpresa com mudança de pista, que os deixaram londe do palco. “Foi sacanagem conosco, mas o show compensou”, postou Nielson Lima, de 18 anos, na época.

Evanney%2C um dos covers mais famosos do Rei%2C guarda há 14 anos uma fatia de bolo de aniversário que ganhou das mãos do astro da Jovem GuardaAgência O Dia

Fanatismo é um perigo para jovens

Alguns fãs são tão apaixonados que se portam como os ídolos. É o caso de Jonas Ribeiro, 27 anos, estudante de Jornalismo, sósia de Daniel Radcliffe, ator que interpretou Harry Potter. Jonas fez curta metragem dedicado ao astro.

Já Carlos Evanney adotou o linguajar e trejeitos de Roberto Carlos, batizou a filha de Roberta Carla, e guarda, há 14 anos, uma fatia de bolo dado pelo Rei. “Mandei envernizar para conservar. É um troféu, bicho”, comenta.

A psicóloga e psicanalista Márcia Modesto afirma que idolatrar famosos é comum. “Mas os pais devem atentar para os adolescentes, que podem desenvolver patologias a partir do fanatismo, perdendo a própria identidade para viver num mundo irreal”, adverte.

Colaborou Fábia Oliveira

Últimas de Rio De Janeiro